A privatização “branca” da Sabesp

20/09/2005 18:50:00

O quadro da composição acionária da Sabesp de 2000 a 2004 mostra que até 2001 o Estado, através da Fazenda de São Paulo, detinha a grande maioria das ações da empresa. A partir de 2002, a Sabesp começa a negociar suas ações na Bolsa de Valores de São Paulo seguindo a lógica de ampliação de acionistas privados em empresa públicas. Essa ampliação atinge seu ápice em outubro de 2004 quando 49,64% das ações passam a ser negociadas na Bolsa de Valores de São Paulo e na Bolsa de Nova Yorque, portanto, o Estado passa a controlar apenas 50,36% das ações da empresa. Para termos uma idéia do que isso significa entre os anos de 2001 e 2004, a Sabesp teve uma receita liquida de R$15,8 bi, um lucro liquido de R$1,56 bi e pagou dividendos para acionistas de R$1,1 bi entre 2000 e 2003, ou seja, há uma grande movimentação de recursos que poderiam ser reinvestidos em saneamento e que vão para os acionistas privados, aliás, mesmo quando a Fazenda do Estado era detentora da maioria das ações os recursos provenientes de dividendos não eram reinvestidos no setor. Confira, clicando no link abaixo, a evolução da composição acionária da Sabesp.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.