Abraço Simbólico no prédio da Nossa Caixa

04/05/2006 17:50:00

Crédito:

Manisfestantes abraçam prédio Nossa Caixa no Centro da Capital

As denuncias de irregularidades que ocorrem na Nossa Caixa, foram levantadas desde fevereiro de 2006, quando Renato Simões protocolou pedido de CPI na Assembléia Legislativa. A bancada de apoio ao ex-governador Geraldo Alckmin mais uma vez demonstrou sua truculência, ao barrar a CPI da Nossa Caixa, assim como os outros 68 pedidos engavetados no Legislativo Paulista.

Ainda na tentativa de fechar o cerco e buscar a veracidade dos fatos que envolvem o escândalo da Nossa Caixa, os deputados do PT encaminharam ao Tribunal de Contas do Estado um pedido de auditoria especial nos gastos de publicidades efetuados pelo banco. Também foi protocolado na Procuradoria Geral do Estado o pedido de afastamento do presidente da Nossa Caixa, Carlos Eduardo Monteiro, e no Ministério Público Federal, encaminhado uma denúncia de administração temerária e crime contra o Sistema Financeiro Nacional, praticados por Monteiro e o ex-governador Geraldo Alckmin.

Entretanto, para garantir que se apure os fatos, o líder da Bancada do PT, Enio Tatto, protocolou hoje 4/5, uma representação no Ministério Público Federal para que seja feita a investigação da quebra do sigilo bancário de seis pessoas, entre elas, o ex-gerente de marketing, Jaime de Castro, de sua namorada, de sua ex-secretária, do filho, da filha e do sobrinho dela, durante sindicância feita pelo banco para apurar irregularidades.

Tatto deixou claro que “o grande recado deste abraço simbólico é a exigência imediata de afastamento do presidente da Nossa Caixa e a implantação da CPI da Assembléia de São Paulo”

Click abaixo e faça download da Representação ao MPF

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.