Alckmin deixa de abrir séries iniciais em 158 escolas de SP

02/06/2016

Tucanagem

O governo do Estado de São Paulo, comandado por Geraldo Alckmin (PSDB), admitiu à Justiça ter deixado de abrir classes de 1.º e 6.º anos do Ensino Fundamental e 1.º ano do Ensino Médio, as chamadas séries de entrada ou iniciais, em 158 escolas neste ano.

A reorganização silenciosa acontece desde o ano passado, quando o tucano anunciou o fechamento de 93 colégios para criar unidades de ciclo único, o que gerou uma forte mobilização estudantil. Os protestos resultaram na ocupação de 196 escolas no Estado. Com isso, o governador recuou na decisão e adiou o projeto para 2017.

Apesar do recuo, as medidas adotadas pelo governador neste ano indicam que o fechamento das escolas não foi suspenso. Para a deputada estadual Marcia Lia (PT), a reorganização escolar está sendo feita de forma silenciosa. “Eles estão fazendo um fechamento calado em várias salas de aula, que significa a reorganização entre aspas. O deputado Raul Marcelo (PSOL) pediu algumas informações para o Herman (ex-secretário de Educação) e ele não forneceu. Queremos fazer uma análise mais criteriosa do que, de fato, significa essa reorganização”.

Para o líder da Bancada do PT na Assembleia Legislativa de São Paulo, deputado José Zico Prado, o projeto de desmonte de Alckmin continua. “O governador não abriu mão do seu projeto e está arrumando um jeitinho para que isso não venha à tona. ”

O deputado ressalta a importância das escolas denunciarem o problema para o caso ser investigado. “Precisamos ter denúncia para a gente ir para cima e não deixar isso acontecer. É preciso ficar em contato direto com Fórum Estadual de Educação para combatermos isso e monitorar a situação”, explica.

Leia mais

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.