Alckmin oferece reajuste de R$ 35 a sete categorias de servidores da saúde com salários congelados há anos

06/03/2018

Crédito:

Há anos com salários congelados, os servidores da área da saúde continuam abandonados pelo governador Geraldo Alckmin, que oferece por meio de projeto de lei apenas 3,5% de reajuste. O que, para sete funções da categoria, significa receber 35 reais de aumento salarial.

Auxiliar de serviços gerias, oficial administrativo, auxiliar de saúde, técnico de laboratório, auxiliar de enfermagem, desinsetizador e técnico de enfermagem compõem o grupo que atualmente recebe remuneração líquida pouco maior que um salário mínimo.

O descaso do governo Alckmin com os funcionários da saúde trouxe à Assembleia Legislativa, nesta terça-feira, 6/3, uma comitiva do Sindsaúde que denunciou a alarmante situação de penúria em que se encontram os funcionários dos hospitais públicos estaduais.

Mobilizados pela campanha Marcha dos Holerites, os sindicalistas foram levados pelo líder do PT, deputado Alencar Santana Braga, ao Colégio de Líderes, onde mostraram aos demais deputados a caótica situação dos trabalhadores.

Os petistas têm questionado a base do governador quando a injustiça do escalonamento de reajuste proposto ao funcionalismo público estadual, que coloca os trabalhadores da saúde com o menor benefício.

Há um mês, o governador enviou o projeto de lei para a Assembleia, e o impasse nas negociações continua. O Partido dos Trabalhadores tem defendido o reajuste linear de 7% para todos trabalhadores do Estado e cobrado que a base do governador se apresente nas sessões de deliberação.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.