Aliança PSDB/PFL veta votação da LDO/2007

21/09/2006 12:50:00

Crédito:

A proximidade do pleito eleitoral trouxe calorosas discussões entre os deputados tucanos e petistas na Assembléia de São Paulo em 19/09. Logo no início da sessão plenária o líder do PT, deputado Enio Tatto lembrou aos deputados do PSDB que o esquema “Valerioduto” teve início em 1998, no governo Eduardo Azeredo, tucano do Estado de Minas Gerais. Ainda na ocasião o petista questionou os governistas a respeito das ações de obstrução dos trabalhos do Parlamento Paulista como meio de impedir a votação do projeto da LDO. Enio defendeu a condição de urgência para esta propositura, para os três projetos da área da segurança e cobrou da presidência da Assembléia o fato de, há dois meses, a instituição não realizar nenhuma importante deliberação.

O presidente da Casa manteve o impasse em torno da votação do projeto da LDO, mesmo com os protestos dos líderes da oposição, jogou para o colégio de líderes a definição da pauta de votação, sabendo que os tucanos e seus correligionários iriam bloquear as votações.

Agora, o último argumento utilizado pelos integrantes da base de sustentação é de não ter recebido o relatório da LDO 2007 para examinar, sendo que esta matéria foi aprovada no dia 30/08 e que por desconhecer o conteúdo não poderiam votar o projeto da LDO. Outra manobra adotada pelos escudeiros do candidato tucano ao governo do Estado, foi o acréscimo na pauta de votação do projeto de Executivo de anistia de débito de impostos estaduais, em benefício dos inadimplentes. A proposta foi rejeitada pelo líder petista que condenou a omissão na execução do papel constitucional da Assembléia de votar a propositura que espelha o Projeto de Orçamento Estadual.

O número de deputados estaduais, presentes na sessão de 19/9, não foi suficiente para aprovar a urgência aos projetos pautados. Parte dos governistas comentou que o governador Cláudio Lembo não tem interesse em votar a urgência aos projetos da área de segurança e principalmente a LDO, e por isso teria se ausentado da sessão.

A Bancada do PT e do PC do B, cobraram a falta de compromisso dos deputados do PSDB com os fundadores do próprio partido, já que os precursores do partido eram favoráveis à democracia participativa ao contrário dos deputados atuais que se negam a votar o projeto da LDO e suas emendas, fruto das audiências públicas realizadas com a participação da população.

Enio Tatto, líder do PT na Assembléia lembrou que “todos os deputados líderes de partidos assinaram compromisso em votar o projeto das polícias, e que a bancada do PT é favorável a esses projetos e à votação com urgência da LDO 2007.” Tatto afirmou ainda que está cada vez mais claro que os integrantes da aliança PSDB/PFL não querem votar a LDO 2007e vão se posicionar após as eleições.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.