Alunos da Unesp ameaçam paralisar por moradia e alimentação

10/06/2013

GREVE NA UNESP

Greve dos professores atinge 13 dos 24 campi

A Comissão Permanente de Educação e Cultura da Assembleia Legislativa realizará no próximo dia 12/6, quarta-feira, Audiência Pública para debater a paralisação das atividades por alunos, servidores e professores da Unesp. A atividade está prevista para às 9h, no auditório Paulo Kobayashi da Assembleia.

A iniciativa é do deputado estadual e presidente do PT-SP, Edinho Silva, e se deu em após receber uma comissão de alunos do campus de Ourinhos e conta com apoio do deputado João Paulo Rillo, presidente da Comissão de Educação e Cultura.

A greve já atinge 13 dos 24 campino Estado. O último campus a aderir foi o de Araraquara. Servidores das faculdades de Ciências Farmacêuticas e Ciências e Letras da Unesp aderiram à paralisação na terça-feira, dia 4/6. Professores e funcionários reivindicam melhorias salariais. Já os estudantes pedem melhorias nas condições de ensino, infraestrutura – como moradia e alimentação – e das bolsas de estudo.

No requerimento, o deputado propõe que sejam convidados para a Audiência representante do Conselho Estadual de Educação, o secretário de Estado de Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia, um representante da reitoria da Unesp, do Conselho de Reitores das Universidades Estaduais de São Paulo (Cruesp), do Sindicato dos Trabalhadores da Unesp (Sintunesp), da Associação dos Docentes da Unesp (Adunesp) e da Comissão Estadual de Mobilização dos Estudantes da Unesp (CEM-Unesp).

“Vamos ouvir as reivindicações e ponderações de todos: estudantes, funcionários, docentes, entidades representativas, bem como debater com a reitoria as saídas para essa crise enfrentada”, afirmou o deputado.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.