Arrecadação estadual caiu 6,6% nos primeiros quatro meses de 2015, mas despesas recuam menos. Investimentos caem 38,3%

01/06/2015

De olho no Orçamento

As receitas orçamentárias estaduais arrecadadas estão caindo fortemente nos primeiros quatro meses de 2015 quando comparamos com o mesmo período de 2014. No período, a queda real (descontada a inflação) foi de 6,6%. Uma arrecadação inferior em R$ 4,7 bilhões.

O principal item das receitas estaduais, o ICMS, sofreu uma queda de 4,63%, ou em valores absolutos, uma redução de R$ 1,9 bilhão.

O IPVA também apresentou queda de 1,77%, enquanto as Transferências da União ficaram praticamente em linha com os valores repassados no ano passado, com oscilação negativa de 0,55%.

Em termos percentuais, a maior queda registrada foi relativa às Operações de Crédito (empréstimos ao Estado), que recuaram em 47,2%, uma redução de R$ 1,8 bilhão no primeiro quadrimestre de 2015 em relação ao ano anterior.

Diante desta queda da arrecadação, o ajuste nas despesas do governo Alckmin vem recaindo sobre os investimentos diretos (obras e material permanente) e os repasses financeiros paras as empresas estatais investirem, que recuaram 38,3% em termos reais nos primeiros quatro meses.

Como as despesas com custeio foram apenas 0,37% inferiores ao ano anterior e as despesas com a dívida pública foram 1,7% superiores a 2014, as despesas totais empenhadas foram apenas 2,9% inferiores ao ano anterior.

Estes números, mantidas estas tendências de arrecadação, revelam que o governo estadual terá que “apertar” ainda mais a execução das despesas orçamentárias nos próximos quadrimestres.

fonte: Assessoria de Finanças e Orçamento – Liderança do PT ALESP

Em anexo, tabelas com Receitas Orçamentárias Estaduais Realizadas. Primeiro Quadrimestre. 2014 e 2015 e Despesas Orçamentárias Estaduais Empenhadas. Primeiro Quadrimestre. 2014 e 2015.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.