Assembleia deve discutir futuro da Secretaria Estadual da Agricultura e Abastecimento

02/12/2014

Desgoverno

Assembleia deve discutir futuro da Secretaria Estadual da Agricultura e Abastecimento

Representantes dos servidores da secretaria estadual de Agricultura e Abastecimento, foram ouvidos pelos deputados integrantes da Comissão de Atividades Econômicas da Assembleia Legislativa, quando manifestaram preocupação sobre a possível extinção da Secretaria Estadual de Agricultura e Abastecimento, conforme notícias veiculadas pela imprensa.

O dirigente Marco Antonio de Moraes do Sindefesa – Sindicato dos Servidores da Defesa Agropecuária e coordenador da Defesa Agropecuária, órgão vinculado a pasta, elencou uma série de atribuições do setor, como fiscalização e controle, conservação do solo entre outras funções adensam com a garantia sanitária animal e vegetal, que segundo ele asseguram a segurança alimentar, no nosso Estado.

De acordo com Moraes a coordenadoria existe há 14 anos e no entanto, os trabalhadores foram surpreendidos pelas notícias da suposta extinção ou fusão da Secretaria e cobrou transparência no processo “ Nós pedimos a realização de debates sobre as possíveis mudanças ou reformas que estão sendo ventiladas, pois a falta de diálogo com o corpo técnico pode comprometer alguns fluxos de atividades e ter reflexos no resultado dos trabalhos realizados”. Além de demonstrar preocupação com o destino da pasta, o líder sindical colocou que a categoria defende o aperfeiçoamento da estrutura da secretaria para melhor serviço prestar à sociedade.

Outra questão abordada por Marco Antonio Moraes foi a falta de realização de concursos públicos e alertou para a precariedade na fiscalização e comércio de agrotóxicos. “ Atualmente há cerca de 350 mil propriedades rurais no Estado, aproximadamente metade delas usam este produto e o número de funcionário é insuficiente para oferecer orientação e fiscalização.

Os deputados ouviram também Abelardo Gonçalves Pinto, que atua na coordenadoria de Assistência Técnica Integral e preside o Apear -Associação Paulista de Extensão Rural. Abelardo sugeriu a realização de audiência pública para que com os produtores, associações, cooperativas, representantes da agricultura familiar, todos tenham a dimensão dos problemas da pasta e as medidas que o governo pretende adotar.

Para o petista José Zico Prado é necessário informações a respeito da pasta e cobrou do governo dados como a arrecadação de impostos e a geração de empregos advindos das atividades afinadas da Secretaria da Agricultura e Abastecimento, Mônika Bergamaschi e defendeu sua presença na audiência pública, sugerida pelos trabalhadores.

Na mesma linha a deputada Ana do Carmo salientou a importância da pasta para o desenvolvimento da agricultura familiar e orgânica, responsável pela qualidade da alimentação, a geração de emprego e distribuição de renda, que movimentam a economia de muitos municípios do Estado paulista.

A reunião realizada mesmo sem quórum, concluiu que os parlamentares petistas Ana do Carmo e José Zico Prado deveriam apresentar na próxima atividade da Comissão um requerimento, solicitando a realização da Audiência Pública, com a presença da Secretária Mônika Bergamaschi , para que ela informe aos trabalhadores, produtores, comerciantes e parlamentares envolvidos com a dinâmica da pasta, quais são os projetos do governo Alckmin para a agropecuária paulista. (rm)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.