Assembleia promove aula magna do Programa de Mestrado em Turismo

31/03/2014

Potencial econômico

Com o apoio do deputado petista Enio Tatto, a Assembleia Legislativa, promoveu em parceria com a Escola de Artes,Ciências e Humanidades da Universidade de São Paulo, a Aula Magna do Programa de Mestrado em Turismo.

Conduzida pelo professor doutor Mário Carlos Beni, titular aposentado da Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo e primeiro professor de turismo do Brasil.

O professor apontou aos presentes o potencial do setor na economia e segundo os dados por ele apresentados, em 2013 houve movimentação mundial de 1 bilhão de turistas, que culminou na geração de 1,3 trilhão de receita, montante este que fica ao lado do recursos da gerenciados pela Petrobrás e empresas de tecnologia.

Ainda de acordo com o professor Beni, há questões como novas mudanças climáticas, que poderão trazer reflexos para o desenvolvimento do turismo, como a longa estiagem, redução de chuvas e o inverno rigoroso.

Outra mudança na área mencionada pelo professor é a nova segmentação dos consumidores de turismo no Brasil, a partir da ascensão econômica das classes C e D da população brasileira.
Outra informação trazida pelo o estudioso foi quanto ao surgimento de novos cenários turísticos e vocações como o turismo de entretenimento com os festivais de música, temáticos, eco turismo, turismo de permuta (inovação surgida a partir do facebook) entre outros.

Na avaliação do professor Beni, o país e o estado de São Paulo dispõem de muito potencial turístico a ser explorado, falta de maior organização e elaboração de políticas públicas para o setor.
Leitura compartilhada pelo deputado, primeiro secretário da Assembleia Legislativa, Enio Tatto, que classificou como tímida o crescimento do setor no Estado de São Paulo e destacou a falta de incentivos e investimentos do governo estadual na área.

Como integrantes da Comissão de Finanças e Orçamento Enio informou que há em tramitação na Assembleia duas proposituras que versam sobre a tema; o Fundo Estadual de Turismo e a ampliação das classificação de municípios como instancias turísticas. No entanto, os repasse de recursos para a área tem sofrido redução de 34% de investimentos para programas de infraestrutura turística.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.