Ato em defesa de pesquisador que apontou 2.414 mortes por exposição ao amianto

19/03/2012

Nesta terça

Interpelação judicial a pesquisador levou deputados da Assembleia Legislativa de São Paulo marcarem, para esta terça-feira (20/3), ato em defesa do estudioso e pneumologista da Fiocruz Hermano Castro. A iniciativa irá ocorrer logo após a reunião da Comissão de Saúde que acontece às 13h30. Além dele, foram convidadas entidades que se manifestaram contra a medida como a Fiocruz, o Inca, a Abrea, Anant, Abrasco, entre outras.

Ministérios do Trabalho e da Saúde e a Secretaria de Saúde do Estado de São Paulo também estão entre os convidados. Parlamentares e gestores públicos do país em prol da proibição do amianto foram relacionados, entre eles o deputado estadual pelo Paraná Luiz Eduardo Cheida (PMDB) e o ex-ministro do Meio Ambiente e atual secretário de Meio Ambiente do Rio de Janeiro Carlos Minc.

Castro foi acionado judicialmente pelo Instituto Brasileiro do Crisotila, que reúne empresas e trabalhadores da indústria do amianto, que pediu esclarecimentos sobre uma pesquisa que apontou 2.414 mortes por mesotelioma no país em 23 anos.

A iniciativa partiu do deputado estadual Marcos Martins, presidente da Comissão de Saúde do Parlamento paulista e autor da lei 12.684/07 que proíbe o uso do amianto no estado de São Paulo.

Ato em defesa de pesquisador Hermano Castro
Local – Assembleia Legislativa de São Paulo – Plenário José Bonifácio. Horário
Horário – a partir das 13h30

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *