Audiência com o senador do Haiti, Jean Charles Moise

16/04/2013

Quinta-feira, dia 18

Crédito:

Movimentos sociais e os deputados Adriano Diogo (PT), Luiza Erundina (PSB) e a vereadora da capital paulista, Juliana Cardoso, convidam para audiência pública pela retirada das tropas do Haiti, nesta quinta-feira (18/4), a partir das 19 horas, na Assembleia Legislativa de São Paulo – auditório Paulo Kobayashi.

O debate contará com a presença do senador Jean Charles Moise, que no senado do Haiti aprovou uma resolução pela retirada das tropas da Minustah e na audiência na ONU, em outubro passado, foi portador da denúncia de milhares de famílias haitianas que exigem das Nações Unidas reparação para as vítimas de cólera.

Senador Jean Charles Moise

O senador Jean Charles Moise iniciou sua militância na Associação dos Estudantes do Norte, em Cap Haytien nos anos 80. Foi dirigente do movimento camponês em Milot, sua cidade natal. Lá foi eleito prefeito em 1995, reeleito, exerceu seu mandato até o golpe de estado de 29 de fevereiro de 2004.

Com 400 outros prefeitos foi obrigado a abandonar seu cargo por sua identificação com Fanmi Lavallas, partido do presidente Aristide, deposto à força.

Lutou contra as forças paramilitares de Guy Phillpe em 2004 e foi perseguido.

Participou do governo Preval e foi eleito senador em 2007. Hoje é um dos principais opositores do presidente Martelly.

Conferência Continental Pela Retirada das Tropas do Haiti

Uma delegação foi recebida em outubro de 2012 na ONU para exigir a retirada imediata das tropas da MINUSTAH do Haiti e a reparação das vítimas de cólera. Depois da audiência lançou APELO POR UMA CONFERÊNCIA CONTINENTAL EM 1º DE JUNHO retomando as exigências do Compromisso de São Paulo (novembro 2011), da Jornada Continental de 1º de junho de 2012 e da Conferência de Vertieres (Cap Haitien):

. Anulação da dívida externa do Haiti!
. Devolução das somas extorquidas no momento da independência!
. Reparações para as vítimas de cólera e de violações dos direitos humanos!
. Retirada imediata das tropas da ONU do Haiti!
. Pelo sucesso da Conferência Continental

Em defesa da soberania da nação haitiana!
Cabe ao povo do Haiti decidir sobre seu futuro!

Minustah no Haiti

A Missão de Estabilização das Nações Unidas no Haiti (MINUSTAH) foi criada em 1º de junho de 2004 pelo Conselho de Segurança da ONU quando o então presidente Bertrand Aristide, sequestrado e deposto por forças estadunidenses, foi obrigado a exilar-se na África.

Desde então o Brasil lidera as tropas, que hoje contam com 9.292 soldados e policiais de 49 países; 648.394 milhões de dólares é a verba deste ano para a manutenção das tropas de ocupação.

Após oito anos de ocupação, o Haiti segue sendo o país mais pobre das Américas: 70% de desemprego e salário médio de 3 dólares/dia.

O terremoto de 2010 matou mais de 300 mil e deixou um milhão de desabrigados; essa situação agravou-se ainda mais com a epidemia de cólera, doença trazida ao país pelo batalhão do Nepal, que já matou 8 mil e contaminou mais 700 mil haitianos. A ONU recusou qualquer reparação alegando que tem “imunidade” no país.

Responsável pela repressão ao movimento popular e sindical, a MINUSTAH é ainda acusada de atos de violência e violação de jovens e mulheres por todo o país.

A campanha pela retirada das tropas da ONU do Haiti defende a soberania da nação haitiana, pois cabe ao povo do Haiti decidir sobre seu futuro!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.