Audiência debateu veto à criação da APA Quilombo

17/05/2012

Proteção ambiental

Derrubada do veto à criação da APA Quilombo é debatida em audiência pública

A derrubada do veto do governador do Estado ao projeto de lei do deputado estadual Antonio Mentor, que propõe a criação da Área de Proteção Ambiental (APA) da Bacia do Ribeirão Quilombo, foi debatida na audiência pública sobre a despoluição dos rios de São Paulo. O evento, organizado pelos deputados Mentor, Donisete Braga, Ana do Carmo e Enio Tatto, foi realizado na manhã desta quarta-feira (16/55), na Assembleia Legislativa.

O presidente do Grude (Grupo de Defesa Ecológica) de Americana, Evandro Rogério Santos, cobrou uma posição mais efetiva dos deputados em relação à aprovação do projeto. “É um absurdo a proposta ter sido barrada pelo governador. A iniciativa do deputado Mentor é fundamental para a preservação do Quilombo”, afirmou.

Para Mentor, a mobilização é indispensável para que o veto seja derrubado e a implantação da APA efetivada. “O Ribeirão Quilombo é hoje um esgoto a céu aberto, um importante manancial da Região do Polo Têxtil, que precisa de medidas urgentes para garantir sua proteção e preservação”, declarou o deputado.

O Sistema Cantareira de Abastecimento, que atende cerca de 9 milhões de pessoas – quase metade da população da Região Metropolitana de São Paulo (RMSP) –, foi outro assunto discutido na audiência.Representantes da Sabesp garantiram que a companhia tem buscado alternativas de abastecimento para a RMSP, mas que hoje ainda não tem condições de abrir mão do Sistema Cantareira. Segundo a Sabesp, o Sistema Produtor São Lourenço é uma nova alternativa para a região.

O governo estadual expôs os programas em andamento para a limpeza dos rios de São Paulo, especialmente as metas de tratamento do esgoto, o grande poluidor.

O público presente cobrou mais agilidade nos programas e reclamou que, apesar de não tratar o esgoto, a Sabesp cobra pelo serviço. O sistema de flotação do rio Pinheiros, descartado pelo estado, também foi tema do encontro.

Participaram da audiência o presidente da Empresa Metropolitana de Águas e Energia (Emae), Ricardo Daruiz Borsari; o diretor de Tecnologia, Empreendimentos e Meio Ambiente da Sabesp, João Baptista Comparini; Pedro Mancuso, professor e coordenador do curso de Saúde Pública da Universidade de São Paulo (USP); o assessor técnico da Secretaria de Saneamento e Recursos Hídricos do Estado de São Paulo, José Carlos Karabolad; e o presidente do Movimento em Defesa da Vida (MDV), Virgílio de Faria.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.