Avanço da dengue no Estado não aparece em boletins oficiais

09/04/2010 16:46:00

Epidemia

 

 

O Estado de São Paulo já registra pelo menos 20 óbitos causados pela dengue em 2010. Só em São José do Rio Preto, foram oito mortes. Do começo do ano até agora, a Secretaria Estadual da Saúde notificou mais de 30 mil casos. Ribeirão Preto registra o maior número de notificações.

Apesar dos constantes notícias sobre o avanço da doença, o balanço divulgado pela Secretaria da Saúde referente aos três primeiros meses de 2010 informa que os casos caíram 52% em março, em comparação ao mês anterior. Segundo o balanço, foram 9.337 casos em janeiro, 16.869 em fevereiro e 9.337 em março.

No litoral, as cidades de Cubatão, Guarujá, Praia Grande, Santos e São Vicente já admitiram oficialmente a epidemia de dengue. Em algumas regiões, os dados divulgados pelas Prefeituras conflitam com as informações divulgadas pela Secretaria da Saúde.

Por exemplo, Ribeirão Preto tem 8.801 ocorrências, segundo a Secretaria Municipal de Saúde, mas no balanço da secretaria Estadual aparecem apenas 6.952 casos. A mesma situação se repete em Araçatuba que registra 7834 casos, contra os 1.667 divulgados pelo Governo Estadual, e São José do Rio Preto, com 7.552 casos, contra os 3.414 no balanço oficial.

Para o presidente da Comissão de Saúde e Higiene da Assembleia, o deputado Fausto Figueira, “não dá para minimizar o problema, nem escamotear os números alarmantes de dengue hemorrágica. O perigo é real e imediato e exige mobilização total”.

 “A epidemia de dengue pode estar chegando ao ponto mais ameaçador nestes 20 anos de luta inglória contra o mosquito transmissor. Ainda que as autoridades sanitárias do Estado tentem descaracterizar a gravidade da situação, UTIs dos hospitais da Baixada Santista têm os seus leitos ocupados por doentes com a versão hemorrágica da doença. Tem gente morrendo e rara é a família sem alguém doente”, completa o deputado petista, que encaminhou representação ao Ministério Público Estadual pedindo que sejam apuradas eventuais responsabilidades pela omissão do Estado em não reconhecer a epidemia de dengue vivida pelos municípios da Baixada Santista.

 

 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.