Baixo índice de tratamento de esgoto reflete no abastecimento de água

06/09/2012

Desgoverno tucano

A falta de chuvas nos últimos meses e a redução do nível dos rios são fenômenos naturais. No entanto, o desabastecimento de água potável em algumas cidades é agravado pela má qualidade das água devido ao baixo índice de tratamento de esgoto na bacia hidrográfica do Alto Tietê, que corresponde à Região Metropolitana de São Paulo.

Dados de 2011, dados da CETESB apontam que menos da metade do esgoto produzido na região é tratado. O restante é lançado de forma bruta nos corpos d’ água, ou seja, a omissão do governo do Estado e dos municípios, somada aos altos índices de desperdício, comprometem ainda mais o abastecimento da população neste período de longa estiagem.

Para suprir as necessidades de abastecimento, a RMSP importa cerca de metade do volume utilizado (33 m³/s) por meio do Sistema Produtor de Água Cantareira, que abrange quatro municípios do sul de Minas e oito em São Paulo.

Periodicamente é repactuado o volume da transposição para a RMSP devido às alegações dos municípios da Bacia do Piracicaba/Capivari/Jundiaí de que o volume restante é insuficiente para atender à demanda.

Nesta Bacia, o Índice de Coleta e Tratabilidade de Esgotos da População Urbana de Municípios – ICTEM – da CETESB de 5,31 em 2011, mostra que quase metade dos esgotos não é tratado. Com isso parte dos recursos hídricos é utilizada para diluir os efluentes ao invés de ter usos mais nobres, como o abastecimento da população.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *