Bancada do PT resiste ao encerramento dos trabalhos do Conselho de Ética

26/10/2011

Caso das emendas

Crédito:

Até este momento (17h50), base aliada usa de estratégias, inclusive dribla o regimento da Assembleia, para tentar encerrar Conselho de Ética

A Bancada do PT na Assembleia Legislativa resiste ao pedido de inversão de pauta proposto pelo deputado Campos Machado (PTB) no Conselho de Ética da Assembleia Legislativa, nesta quarta-feira (26/10), que apura as denúncias sobre a venda de emendas parlamentares.

Apesar dos protestos dos deputados do PT, a inversão de ordem foi aprovada pela base aliada e determinou como primeira discussão da reunião o requerimento do petebista, que solicita o encerramento dos trabalhos do Conselho.

“É um enterro do Conselho de Ética. Que pelo menos se coloque esse item por último. Já houve um grande golpe ao se antecipar essa reunião”, afirmou o líder da Bancada do PT, deputado Enio Tatto, referindo-se à manobra dos governistas para que a reunião do Conselho não acontecesse no mesmo dia do ato pela CPI das Emendas, marcado para esta quinta-feira na Assembleia Legislativa.

Encerrada ou suspensa, a reunião?

Os debates no Conselho prosseguiram até às 16h30, quando teve início a Ordem do Dia, no Plenário. Conforme regimento da Casa, ao iniciar-se a sessão ordinária, todas as Comissões em andamento devem ser encerradas.

Entretanto, o presidente do Conselho, o tucano Hélio Nishimoto, declarou suspensa a reunião, convocando seu retorno para às 19 horas.

A Bancada do PT protestou, acreditando que “trata-se de mais um ‘golpe’ da base aliada do governo, pois não há a possibilidade de suspender a reunião quando já foi iniciada a Ordem do Dia, ela está encerrada e, quando encerrada, para se convocar outra reunião há necessidade que ela seja publicada no Diário Oficial. Desta forma, não poderia ser convocada para o mesmo dia”, explicou Enio Tatto.

Em Plenário, o PT apresentou uma Questão de Ordem ao presidente da Casa para que se pronuncie sobre o tema: pode o presidente suspender uma sessão que, pelo regimento da Assembleia, já estaria oficialmente encerrada?
A presidência recebeu a Questão de Ordem, mas ainda não respondeu.
Neste momento (17h50), os deputados petistas debatem o assunto em Plenário.

CPI

Nesta tarde, durante os trabalhos do Conselho de Ética os deputados do PT reforçaram a necessidade da instalação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito _ CPI – para que as denúncias sobre a “venda” das emendas possam de fato serem investigadas.

O deputado João Paulo Rillo ressaltou, também, que o Conselho ainda deve ouvir pessoas ligadas ao caso, como dona Terezinha Barbosa, representante de uma entidade e que diz conhecer o “esquema” e que poderia apontar três deputados envolvidos. Segundo informações publicadas na imprensa, dona Terezinha está disposta a comparecer ao Conselho.

Leia também:
Conselho de Ética volta a se reunir nesta quinta, após pressão petista

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.