Bancada homenageia o médico sanitarista David Capistrano Filho – dia 7/7

02/07/2008 15:43:00

Homenagem

Crédito:

 

A Comissão de Saúde e Higiene e a Bancada do Partido dos Trabalhadores (PT) da Assembléia Legislativa realizam Ato Solene nesta segunda-feira, 7 de julho, a partir das 19 horas, no auditório Franco Montoro, em homenagem aos 60 anos de nascimento do médico sanitarista David Capistrano da Costa Filho. “Davizinho”, como era conhecido, nasceu no Recife no dia 7 de julho de 1948 e morreu na cidade de São Paulo, no Hospital Sírio-Libanês, em 10 de novembro de 2000.

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva enviou mensagem especial para o Ato Solene. Diz o texto presidencial: “David Capistrano foi um companheiro que dedicou sua vida à luta para transformar o País numa Pátria justa, democrática e soberana. Defensor da saúde pública, dirigente partidário, Prefeito de Santos, sempre lutou na defesa dos interesses populares. Tenho muito orgulho quando ouço em todo o Mundo referências elogiosas ao nosso SUS, ao avanço de sua concepção. E todos nós sabemos do papel essencial que David exerceu na criação deste Sistema Único de Saúde. Este militante querido e saudoso não está conosco neste momento em que nossos sonhos começam a ganhar vida, mas seu exemplo nos determina a seguir adiante, para honrar sua memória e sua herança”.

“Davizinho” era filho de David Capistrano e Maria Augusta, militantes comunistas. Seu pai “desapareceu” depois de preso, em março de 1974, na fronteira com o Uruguai, durante a ditadura militar. Casou duas vezes e teve quatro filhos. Entre outras atividades, foi líder estudantil, médico, jornalista militante, autor e editor de livros, articulador político, conferencista, secretário municipal de saúde de Bauru e Santos, prefeito de Santos e consultor do Ministério da Saúde.

David Capistrano Filho lutou muito pela formulação e pela implantação do SUS. Foi ousado e inovador ao distribuir seringas aos usuários de drogas da cidade de Santos, quando isso era considerado transgressão legal. Acoplou à distribuição um rigoroso programa educacional, visando, principalmente, os grupos de risco e retirando a cidade do primeiro lugar entre os portadores de HIV. Implementou o atendimento domiciliar em Santos. Coordenou também os programas Agentes Comunitários e Saúde da Família, que no Estado figuraram como Projeto Qualis, entre tantas outras iniciativas.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.