Bancada reafirma pacto com movimentos sociais de moradia

11/04/2017

Encontros

Crédito:

Na tarde desta terça (11), diversos movimentos de moradia estiveram com os deputados e deputadas do PT na Alesp. A ideia do encontro foi reaproximar o partido de suas bases sociais históricas. Outras reuniões serão realizadas no decorrer do mês com a juventude e o movimento negro.

Na ocasião, todas as lideranças e representantes de movimentos presentes puderam debater com os parlamentares quais são os maiores problemas que o Estado de São Paulo tem com a gestão tucana de Alckmin.

Problemas como o caos no transporte ou na Segurança Pública, na saúde e claro, na questão da habitação na cidade, e outros temas do cenário político atual, foram debatidos.

No quesito de Segurança Pública, por exemplo, os movimentos cobraram mais apoio, pois, como já é sabido, eles têm sido sido alvo constante da criminalização e repressão policial em ocupações. Ações oriundas dos mandos e desmandos de Alckmin.

A reunião nasceu da iniciativa do líder da Bancada, o deputado Alencar Santana Braga que fez questão de elaborar encaminhamentos práticos ao final do encontro.

Sobre comunicação, Alencar acha importante existir uma prestação de contas e uma troca de informações semanal entre movimentos e Bancada. Um seminário sobre moradia também poderá ser realizado em conjunto com o diretório estadual do PT-SP, a ideia será responder a pergunta: qual é a proposta de moradia que os deputados estaduais do PT tem para São Paulo?

“A esquerda tem um desafio. Temos que falar mais sobre São Paulo. A Bancada vive uma dificuldade, não temos espaço na imprensa tradicional, por exemplo, alguém ouviu falar sobre o problema da CPTM hoje? Pois é, imaginem a dificuldade da Bancada em conseguir mostrar sua posição. Temos que “quebrar” a cabeça juntos. Eventualmente, teremos uma pauta da moradia que se não conseguirmos comunicar bem, podemos não conseguir repercussão e o assunto perderá força.” Finalizou, Alencar

A deputada Márcia Lia, líder da Minoria na Alesp, acredita que esses encontros terão um resultado fundamental com construção coletiva. “Quando colocamos tijolo por tijolo, somos parte da construção. A população precisa muito da esquerda, precisamos juntar energias, potenciais. E vocês são um grupo que pode ajudar o trabalho da Bancada. Não acredito em ninguém que constrói nada sozinho. Parabéns a vocês que vieram aqui hoje.”

Leia mais

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.