Base governista foge do debate sobre propinoduto tucano

07/08/2013

Sem quórum

A base do governo não compareceu à reunião da Comissão de Infraestrutura que aconteceu na tarde desta quarta-feira (7/8) na Assembleia Legislativa.

Em uma clara manobra para evitar o debate sobre o chamado propinoduto tucano, os governistas não deram quórum à reunião que votaria requerimentos em que deputados do PT solicitam informações sobre o caso.

Na pauta estavam requerimentos dos deputados Alencar Santana Braga, Antonio Mentor, Gerson Bittencourt, Geraldo Cruz e José Zico Prado convidando Vinicius Marques de Carvalho, presidente do Conselho Administrativo de Defesa Econômica – CADE -, Luiz Carlos Frayze David, ex-presidente do Metrô, Decio Tambeli, ex-diretor do Metrô, Nelson Scaglioni, ex-gerente de manutenção da CPTM, Ronaldo Moriyana, diretor da MGE, Jurandir Fernando Ribeiro Fernandes, secretário de Transportes Metropolitanos, Mário Manuel Seabra Rodrigues Bandeira, diretor-presidente da CPTM, Luiz Antonio Carvalho Pacheco, diretor-presidente do Metrô e o presidente da Siemens no Brasil, Paulo Ricardo Stark, para prestar esclarecimentos sobre as denúncias feitas pela Siemens ao CADE com relação a formação de cartel entre as empresas em licitações do Metrô da CPTM em que as empresas teriam desembolsado mais de R$ 400 milhões apenas em propinas a funcionários do governo de São Paulo, o que pode ter elevado os custos para o Poder Público nesses contratos.

O presidente da Comissão de Infraestrutura, deputado Alencar Santana Braga, lamentou a falta de quórum na reunião e, mesmo assim, leu a pauta para os presentes, os deputados Gerson Bittencourt e Geraldo Cruz.

Alencar ainda afirmou que movimentos sociais terão a palavra na próxima reunião, que acontecerá dia 14 de agosto, data prevista para uma grande mobilização na capital que culminará na Assembleia Legislativa.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *