Base governista ignora manifestação pela CPI da corrupção tucana

15/08/2013

Protestos pela CPI

PM age com truculência e cinco ficam feridos

Em meio a manifestações que aconteceram na Assembleia Legislativa nesta quarta-feira (14/8) pela CPI para apurar denúncias de superfaturamento e pagamento de propinas em licitações do Metrô e da CPTM, a base governista simplesmente ignorou os apelos do PT, fugiu do debate e manteve na pauta a discussão sobre a PEC 01/2013, de autoria do deputado Campos Machado.

A propositura do aliado do governador versa sobre a concentração das ações do Ministério Público nas mãos do Procurador Geral do Estado.

Enquanto isso, deputados do PT que tentavam garantir que manifestantes entrassem na Casa foram agredidos por PMs.

Com os protestos e denúncias dos deputados e divulgação de imagens nas redes sociais, o presidente da Assembleia acabou autorizando a entrada de parte dos manifestantes.

Mas a PM não recuou e formou uma verdadeira muralha humana, que sitiou o Poder Legislativo impedindo qualquer pessoa de entrar e ou sair do local.

Apesar de todas as críticas e apelos dos deputados petistas ao presidente da Casa, a Tropa de Choque passou a lançar gás lacrimogêneo e balas de borracha nos manifestantes.

A PM contabilizou cinco feridos, entre eles a militante da Central dos Movimentos Populares Severina Ramos e o fotógrafo do Sindicato dos Químicos de São Paulo, Eduardo Oliveira. Com a negação dos fatos pelos integrantes da base de sustentação do governador Alckmin, o deputado João Paulo Rillo apresentou imagens dos feridos, que foram atendidos no serviço médico da Assembleia.

O líder da Bancada, Luiz Claudio Marcolino, informou ao plenário que os deputados do PT estavam se retirando da sessão, por conta dos fatos ocorridos na Casa e em protesto contra a truculência da Tropa de Choque da PM.

Marcolino justificou: “ O PT vai requerer uma sindicância para apurar os responsáveis pela ação da Tropa de Choque no Parlamento e, inclusive, o uso da bala de borracha, que estava abolida pela PM , conforme o governador Geraldo Alckmin recentemente noticiou”, destacou.

A base governista manteve as discussões da PEC 01. Os debates se arrastaram até 0h20 (já nesta quinta-feira, 15/8), quando a sessão foi encerrada sem deliberação da propositura.

Os deputados do PT são contrários à PEC 01 e defendem outras propostas, como maior transparência nas ações do Ministério do Público e que os candidatos a Procurador Geral de Justiça apresentem suas propostas à Assembleia.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.