Campanha 16 dias de Ativismo pelo Fim da Violência contra as Mulheres

23/11/2009 13:53:00

25 de novembro

 

A campanha visa mobilizar a população para o enfrentamento da violência contra as mulheres e disseminar informações buscando soluções para a situação de violência a que estão expostas mulheres de todo o mundo, de diferentes raças, idade e classe social.

Outro objetivo é dar mais visibilidade aos canais de auxílio às mulheres vítimas das agressões. Elas podem contar com a Central de Atendimento à Mulher – Ligue 180, Polícia Militar – 190, Corpo de Bombeiros 193, Centros de Referência de Atendimento às Mulheres em Situação de Violência, Delegacias Especializadas de Atendimento à Mulher – DEAMs, Serviços de Saúde e Defensoria Pública.

Sutileza – De acordo com Kátia Guimarães, Subsecretária de Enfrentamento à Violência da Secretaria Especial de Políticas para as Mulheres (SPM),  as violências sutis, tema da campanha este ano, precisam mesmo ser debatidas pela sociedade. “Não se trata de violência física, mas sim moral e psicológica que acaba afetando a auto-estima das mulheres e isso não pode ser considerado banal”,  afirmou.

Ativismo – Os 16 dias de ativismo incluem a realização de ações em todo o país, como manifestações públicas, debates, exposições e eventos, além significar uma convocação à sociedade para tomar uma atitude pelo fim da violência contra as mulheres.

A campanha foi criada em 1991 por movimento de mulheres e feministas vinculadas ao Centro para a Liderança Global das Mulheres. Atualmente, é realizada em 159 países no período de 25 de novembro a 10 de dezembro.

Por que 16 dias? Neste período há uma série de datas significativas na luta pela erradicação da violência contra as mulheres e garantias dos direitos humanos: Além do Dia Nacional da Consciência Negra (20/11), Dia Internacional da Não Violência Contra as Mulheres (25/11),  Dia Mundial de Combate à Aids (01/12),  Dia Nacional de Luta dos Homens pelo Fim da Violência contra as Mulheres (06/12), Dia Internacional dos Direito Humanos (10/12).

 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.