Carência de médicos em SP contradiz Alckmin

17/09/2013

Saúde no Estado

Governador tucano disse que o problema do setor no Brasil não é a escassez de profissionais, mas a falta de financiamento; no entanto, mesmo Santo Antônio de Posse, no Estado mais rico do país, não conseguiu preencher vagas de R$ 12 mil e agora aguarda com ansiedade a chegada de uma médica cubana; ao lado de Pedreira e de Embu Guaçu, o município foi contemplado na primeira leva de 400 profissionais de Cuba contratados pelo programa Mais Médicos

A polêmica sobre a contratação de médicos cubanos ainda domina os debates entre as classes médicas. Enquanto isso, cidades carentes de profissionais já aguardam com ansiedade a chegada dos estrangeiros – inclusive de Estados como o de São Paulo, que segundo o governador Geraldo Alckmin não faltariam médicos. “Mais médico é bom, agora esse não é o problema da saúde brasileira hoje. O problema é financiamento”, disse o tucano no início de setembro.

Em Santo Antônio de Posse, no interior de São Paulo, um concurso público realizado em janeiro ofereceu salário que chegava a R$ 12 mil, mas não conseguiu contratar nenhum profissional para preencher vagas em quatro dos seis postos de saúde da cidade.
Ao lado de Pedreira, Posse são as duas das três únicas cidades do Estado de São Paulo contempladas na primeira leva de 400 médicos cubanos que vieram ao Brasil pelo programa (a outra é Embu Guaçu, na região metropolitana de São Paulo).

*com informações do jornal Valor Econômico

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.