Cartel: desvio passaria pela Casa Civil de SP

24/08/2013

De dentro do Palácio

O Jornal da Band, exibido nesta sexta-feira (23/8), mostra que investigações da Polícia Federal e do Ministério Público indicam que o suposto desvio de recursos em obras do Metrô e do setor elétrico em São Paulo passaria pela Casa Civil do Governo do Estado.

O consórcio da linha-4 do Metrô paulista foi alvo de investigação na Operação Castelo de Areia, deflagrada há quatro anos, e depois suspensa pela Justiça. Empresas apontadas agora pela Siemens como integrantes de um suposto cartel em outras obras, já aparecem nos documentos apreendidos pelos agentes da Polícia Federal, em 2009.

De acordo com o relatório sigiloso da Polícia Federal, ao qual o Jornal da Band teve acesso, um dos destinatários da suposta propina foi Robson Marinho, conselheiro do Tribunal de Contas do Estado e ex-chefe da Casa Civil do governador Mário Covas.

Em outro papel está registrado o que seria o pagamento de mais de R$ 32 mil a Arnaldo Madeira. Na época, chefe da Casa Civil de Geraldo Alckmin.

Segundo as investigações, Edson Aparecido, deputado federal tucano, também teria recebido propina durante a execução de obras na Cesp (Companhia Elétrica do Estado). Atualmente ele exerce a mesma função de outros suspeitos: é chefe da Casa Civil do governo paulista. (fonte: www.band.com.br)

Clique aqui para assistir a reportagem.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.