Cartel ganha concorrência do Metrô R$ 365 mi acima do valor de referência

05/09/2013

Propinoduto tucano

Durante reunião da Comissão de Infraestrutura na tarde desta quarta-feira (5/9), o deputado Adriano Diogo questionou o presidente do Metrô, Luiz Antonio Carvalho Pacheco, sobre a concorrência para o monotrilho da linha 15-Prata (antigo prolongamento da linha 2-Verde).

Inicialmente, o monotrilho tinha como preço de referência, na concorrência internacional nº 41889213, o valor de R$ 2,1 bilhões. Esta licitação foi deserta e, por isso, sete meses depois, se lançou a concorrência internacional nº 41180213, com valor referência de R$ 2,37 bilhões.

Essa licitação foi ganha pelo Consórcio Expresso Monotrilho Leste – Construtora Queiroz Galvão S.A. (líder), Construtora OAS ltda., Bombardier Transit Corporation e Bombardier Transportation Brasil ltda – no valor de R$ 2,46 bilhões, ou seja, um valor R$ 365 milhões maior que a primeira licitação.

Com base nesses fatos, Adriano Diogo questionou: “como se ganha licitação acima do preço de referência? Por que o governo paulista não coibiu a ação do cartel da corrupção, anulando esta licitação?”

O presidente do Metrô simplesmente não respondeu às indagações do deputado.

Este contrato já teve três aditamentos no valor de quase R$ 220 milhões e o preço já é R$ 584 milhões superior à primeira licitação.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.