Comissão da Verdade apresenta seu relatório final

12/03/2015

Relatório

A Comissão Estadual da Verdade “Rubens Paiva”, presidida pelo deputado Adriano Diogo, discutiu nessa quinta-feira (12/3) seu relatório final, apresentado por meio de uma plataforma multimídia. Entre as recomendações do relatório estão a localização dos restos mortais dos desaparecidos políticos e a punição dos torturadores de ontem e hoje.

O presidente da Comissão Nacional da Verdade, Pedro Dallari, destacou a importância do trabalho das comissões locais e setoriais e elogiou o rigor metodológico que marcou o trabalho da Comissão Estadual de São Paulo.

Dallari defendeu a continuação do trabalho para que as recomendações possam ter encaminhamento e acompanhamento. “Esse, inclusive, é um desafio para o parlamento paulista”, afirmou.

Amelinha Teles, da Comissão Rubens Paiva, falou sobre o intenso trabalho realizado, que levantou a história de 188 mortos ou desaparecidos, além de casos como Esquadrão da Morte e Vila Socó. Amelinha destacou dois momentos importantes do trabalho: a manifestação e ocupação do DOI-CODI e o lançamento do livro Infância Roubada, que reuniu mais de 800 pessoas.

Toda essa documentação está disponível no site verdadeaberta.org .

Emoção

Tanto a equipe da Comissão da Verdade quanto pessoas que prestaram depoimento durante os trabalhos elogiaram a dedicação e empenho do deputado Adriano Diogo nessa causa. O líder da Bancada do PT, deputado João Paulo Rillo, afirmou que “a Comissão da Verdade resgata o passado, mas aponta para o futuro”.

Dougival Vieira encerrou a reunião com uma fala emocionada. “Nós tivemos que esperar 30 anos para que um crime contra uma população inocente e desarmada voltasse à tona”, disse referindo-se ao incêndio da Vila Socó.

Adriano Diogo agradeceu a todos e alertou para a ameaça de golpe que existe no momento. “É de enorme gravidade. A ditadura é sanguinária. Ditadura nunca mais. Tortura nunca mais”. (FF)

Leia mais

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.