Comissão de Alckmin não tem poder de decisão

10/09/2013

Apurar corrupção

Comissão formada por Alckmin para apurar corrupção não tem poder de decisão

A chamada Comissão de Notáveis, formada pelo governo Geraldo Alckmin para analisar os documentos enviados pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) ao governo paulista sobre favorecimento a empresas em troca de propinas em licitações no Metrô e na CPTM não pode influenciar no andamento do caso. A denúncia foi feita Vicente Bagnoli advogado representante da OAB – Ordem de Advogados do Brasil – e integrante do grupo.

O Grupo de Trabalho de Acompanhamento Externo foi criado por Alckmin com a justificiativa de dar transparência às investigações mas, diz Bagnoli, os encontros apenas analizam os documentos recebidos. “O grupo de trabalho não tem poder de decisão nenhum. As decisões são do estado de São Paulo e da sua Corregedoria. (A comissão) é apenas a reunião pela qual o estado presta esclarecimentos daquilo que ele está fazendo para investigar o suposto cartel”.

As reuniões do grupo ainda não têm um fim previsto. “Acredito que o prazo coincida com o término das investigações e das medidas judiciais e administrativas que forem propostas”, argumenta Bagnoli. (fonte: Rede Brasil Atual)

Clique aqui para ouvir a entrevista de Vicente Bagnoli concedida à Rádio Brasil Atual.

Leia mais

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.