Comissão de Direitos Humanos lança Campanha de Combate à Violência Contra as Mulheres

16/09/2010 17:11:00

Audiência Pública

 

O líder da Bancada do PT na Assembleia Legislativa, deputado Antonio Mentor, participou ontem do lançamento da Campanha Ponto Final na Violência Contra Mulheres e Meninas, realizado durante audiência pública, promovida pela Comissão de Direitos Humanos da Assembleia Legislativa e pela Rede Nacional Feminista de Saúde, Direitos Sexuais e Reprodutivos.

A audiência reuniu especialistas em direitos humanos e lideranças do movimento feminista que, há quase quatro décadas denunciam a violência crescente praticada contra as mulheres no Brasil.

“Esperamos que o debate contribua para os avanços que a sociedade precisa. É essencial mudar a visão da população, que tolera violações a direitos básicos”, disse o deputado Antonio Mentor.

Preocupada com o atendimento às vítimas da violência, a pró-reitora de Saúde Coletiva da Unifesp, Eleonora Menicucci de Oliveira, defendeu a descentralização do atendimento às mulheres que sofrem agressão sexual. “Independente do local onde a paciente resida, as delegacias da mulher a encaminham para o Hospital Pérola Byington, no centro da capital, por orientação das Secretarias de Saúde e de Segurança Pública”, relatou.

O Hospital Pérola Byington atende mensalmente 280 mulheres e 347 meninas vítimas de agressão. Eleonora sugeriu que o atendimento às vítimas de abusos sexuais seja realizado também pela Unifesp, que pode oferecer atendimento psicológico. “As feridas curam, as cicatrizes não”, justificou a pró-reitora da Unifesp.

Tatau Godinho, assessora de Direitos Humanos da Liderança do PT na Assembleia, lembrou que a Lei Maria da Penha, aprovada em agosto de 2006, prevê atendimento amplo e específico às vítimas. “Do ponto de vista das políticas públicas, o combate à violência contra as mulheres se insere em três áreas de atuação: Segurança Pública, Saúde e Justiça”, explicou Tatau.

Também participaram do debate o deputado Raul Marcelo (PSOL), a presidente da Rede Nacional Feminista de Saúde, Direitos Sexuais e Direitos Reprodutivos – Regional São Paulo -, Rosa de Lourdes, a coordenadora nacional da União Brasileira de Mulheres, Liége Rocha, e a secretária-executiva da Rede Nacional Feminista, Télia Negrão.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.