Comissão em defesa do trabalhador do setor sucroalcoleiro

25/09/2013

Agricultura

Crédito: PT Alesp

Assembleia terá Comissão Especial em defesa do trabalhador do setor sucroalcoleiro

A situação da falta de estrutura do INCRA, a falta de condições de segurança dos trabalhadores rurais do setor sucroalcoleiro e a apropriação indevida de terras públicas, foram os eixos do debate que aconteceu nesta quarta- feria( 25/9), na Comissão de Direitos Humanos da Assembleia presidida por Adriano Diogo e tem em seus quadros a deputada Beth Sahão, ambos integrantes do PT.

Na ocasião as lideranças dos trabalhadores denunciaram a precarização das condições de trabalho no campo e cobraram dos órgãos estadual e federal o compromisso social, na fiscalização da aplicação dos direitos dos trabalhadores.

Segundo representantes do setor produtivo Antonio de Pádua, da Unica – União das Indústrias de Cana de Açucar, o setor passa por dificuldades, – pois o álcool não tem conseguido condições de disputa no mercado de combustível e contestou as denúncias e críticas de precarização de trabalho.

A apropiação indevida de área pública de maneira sorrateira, pelo setor do agronegócio, por meio das fazendas experimentais, gerenciadas pelas secretarias de meio ambiente e agricultura, foi uma das questões trazida pela Federação dos Empregados Rurais Assalariados do Estado de São Paulo, representada por Aparecido Bispo.

Os deputados cobraram mais informações, pois não foi apresentado a identificação de onde e quais fazendas estavam sendo exploradas pelo agronegócio.

O deputado Adriano Diogo, ponderou aos participantes que a possibilidade de uma CPI para apurar a precária situação dos trabalhadores não seria melhor caminho para pressionar por solução do problema da falta de condições de trabalho , visto que o PT é minoria no Parlamento estadual e não consegue implacar CPIs que foquem questões do governo do Estado.

O parlamentar propôs então a constituição de uma Comissão Especial para discutir o enfrentamento à exploração de mão de obra no campo e reunir informações para verificar a veracidade da denúncia de apropriação indevida de área pública.

Beth Sahão por sua vez colocou que o papel do Poder Legislativo é mediar conflitos e divergencias sociais. A deputada falou da familiaridade que tem com o setor produtor de cana e disse que reconhece sua importancia na ecomomia do Estado e que cabe aos deputados e lideranças buscarem o diálogo entre os protagonistas na produção de álcool, patrão e trabalhadores rurais na defesa dos direitos trabalhistas e sociais.

Entre os integrantes da mesa esteve Marli Dias Mascarenhas do Instituto de Economia Agrícola, que se colocou a disposição da futura Comissão, com fornecimento de informação do banco de dados, do órgão´, que possam nortear os trabalhos da Comissão Especial.

Leia mais

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.