Concentração na Praça Ramos em frente ao Teatro Municipal, a partir das 10h30.

06/03/2008 13:27:00

Ato Passeata

Crédito:

Elas pedem políticas públicas de prevenção à violência, o cumprimento da Lei Maria Penha, assim como equipamentos públicos como centros de referência à mulher, delegacias e casas-abrigo. Este ano, os movimentos farão uma crítica ao governador de São Paulo, José Serra, que vem se negando a assinar o Pacto Nacional pelo Enfrentamento à Violência Contra as Mulheres.

Esse dia tem história!

O Dia Internacional da Mulher é um dia de luta em todo mundo, fruto da mobilização de operárias no início do século passado. Sua celebração foi proposta por Clara Zetkin, na II Conferência Internacional das Mulheres Socialistas em 1910, e a partir de então foi comemorado em diferentes datas. Em 1922, passa a ser celebrado no dia 8 de março, data em que as operárias russas dão início às mobilizações da Revolução de 1917.

Mulheres feministas anticapitalistas em luta por

igualdade, autonomia e soberania popular!

Lutamos para acabar com o machismo e com tirania do livre comércio.

Nós mulheres do campo e da cidade, lésbicas, negras, mulheres com deficiência nos organizamos e lutamos contra a violência sexista, pelo direito ao aborto seguro e gratuito, por uma educação não-sexista  e  não-racista, pela livre orientação e expressão da nossa sexualidade, por mais creches e escolas  e por salários justos.

Queremos um mundo sem as guerras,a  violência, a dominação dos povos, a concentração de riquezas,  as relações de opressão,  exploração, exclusão social,  discriminação, racismo e a  destruição da natureza que nos desumaniza e rouba nosso futuro.

Mudar o mundo para mudar a vida das mulheres!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.