Concurso definirá slogan para tarifas abusivas

30/11/2011

Pedágios no Estado

Crédito: Ass. Imprensa - dep. Ana Perugini

Durante o encerramento do Dia “D” de Combate às Tarifas Abusivas de Pedágios de São Paulo, no último dia 25, e que mobilizou cerca de 15 municípios do interior do Estado, a deputada Ana Perugini, na sede do Sindicato dos Metalúrgicos de Campinas e Região, lançou o concurso “Melhor Frase” para ser usada como slogan nos materiais informativos dos movimentos sociais.

Segundo a deputada, “temos necessidade de dar nomes às coisas e esse concurso, por meio do qual vamos escolher a melhor frase, visa resumir em poucas palavras aquilo que reflete o sentimento das pessoas sobre os pedágios paulistas”.

As sugestões de frases podem ser enviadas para o email: zematos@anaperugini.com.br

Participação da população

O Dia “D” foi marcado por ações com distribuição de material informativo à população e adesivagem de veículos, para marcar o movimento e dar visibilidade à insatisfação do povo paulista. Houve participação expressiva de lideranças sindicais, partidárias, de movimentos sociais e populares.

A deputada Ana Perugini, membro da Comissão de Transporte e Comunicações da Assembleia Legislativa, fez uma análise dos impactos dos pedágios, principalmente no que diz respeito à conservação de rodovias, localização das cabines de pedágio, o sistema eletrônico de cobrança “Ponto a Ponto” anunciado pelo Governo de São Paulo e valor de tarifas.

A parlamentar petista se comprometeu a colocar em discussão na Assembleia Legislativa as demandas apresentadas pelos movimentos, além de provocar a Agência Reguladora de Serviços Públicos Delegados de Transporte do Estado de São Paulo (Artesp) para a observância dos impactos sociais negativos gerados às comunidades pela falta de critério na instalação de praças de pedágios.

“Quando o Governo fala da boa qualidade das rodovias de São Paulo para justificar as tarifas abusivas de pedágio, vemos que isso não é verdade quando percorremos várias cidades do Interior Paulista como, por exemplo, Itatiba”, explica Ana Perugini. “Eu encontrei rodovias esburacadas, sem acostamento, obras de duplicação paradas. Ali está sendo cobrado pedágio sem qualquer prestação de serviço, em pontos que isolam bairros da cidade, impedindo as pessoas de transitar no perímetro urbano sem o pagamento; isso para ir à escola, hospital, supermercado. Eu senti o drama daqueles moradores, coisa assim não pode acontecer, precisamos olhar com mais responsabilidade para o nosso Estado”, desabafou a deputada.

Sistema Eletrônico de Cobrança

A deputada Ana Perugini chamou atenção dos movimentos que combatem os pedágios abusivos para correção da forma como está sendo divulgado o sistema de cobrança eletrônica, batizado de “Ponto a Ponto” pelo Governo de São Paulo. “Eu estive em Indaiatuba, nos locais onde estão previstas instalações dos pórticos (leitores de chips), na rodovia SP-075, e de forma alguma o sistema vai permitir a cobrança por quilômetro rodado como está sendo anunciado”, esclarece ela e aponta que “os pórticos têm valores fixos e refletem trechos que não serão percorridos pelos motoristas, com tarifas por quilômetro em torno de R$ 0,20, bem acima do valor médio de R$ 0,16 praticado nas rodovias paulistas”.

*com informações da Ass. de Imprensa – dep. Ana Perugini

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.