Denúncia revela cartel em licitações do metrô no governo Alckmin

15/07/2013

Fraudes

A multinacional Siemens denunciou o caso às autoridades brasileiras, do Conselho Administrativo de Defesa Econômica, para escapar de uma punição maior. A Bancada do PT na Assembleia Legislativa já havia denunciado as irregularidades em 2008

A multinacional alemã Siemens, empresa vencedora de vários contratos com o Metrô e a CPTM – Companhia Paulista de Trens Metropolitanos – denunciou que empresas contratadas pelo governo paulista para fornecer equipamentos, como ela própria, formavam cartel e colocavam preços até 20% superiores aos de mercado nas licitações de novas linhas do metrô.

A denúncia foi feita às autoridades antitruste brasileiras, do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade), para escapar de uma punição maior – o caso foi revelado na edição deste domingo (14/7) pelo jornal Folha de S. Paulo.

Além da Siemens, o esquema envolveria ainda outras multinacionais, como a Alstom (já investigada na Europa por corrupção na América Latina), a canadense Bombardier, a espanhola CAF e a japonesa Mitsui.

De acordo com as denúncias, o cartel dos fabricantes de equipamentos atuou em seis licitações e o prejuízo total para o governo do Estado ainda não foi totalmente estimado. Segundo a investigação do Cade, o conluio envolveria ainda as empresas TTrans, Tejofran, MGE, TCBR Tecnologia, Temoinsa, Iesa e Serveng-Civilsan. Destas, a Tejofran é fortemente ligada ao PSDB e cresceu exponencialmente nos governos de Mário Covas.

Ao todo, o mercado de equipamentos para o transporte por trilhos movimenta R$ 4 bilhões ao ano no Brasil.

Bancada do PT denunciou fraudes já em 2008

A relação da Siemens com a multinacional francesa Alstom e os supostos esquemas de pagamentos de propinas, como meio de garantia de contratos com o governo do Estado de São Paulo, já havia sido denunciada pelos deputados da Bancada do PT na Assembleia Legislativa em 2008.

Segundo investigações feitas na Alemanha, a Siemens teria gasto $ 1,3 bilhão de euros em transações suspeitas, ocorridas no período de 2000 a 2006.

No Brasil, a empresa realizou negociações com o governo paulista, de 1990 a 2008, num total de 146 contratos, que somaram R$ 2,75 bilhões.

Os parlamentares do PT constataram que o Tribunal de Contas do Estado (TCE) havia dado parecer irregular a contratos do governo do Estado com a Siemens que totalizam R$ 88 milhões e protocolaram representação ao Ministério Público Estadual e Federal.

A Bancada petista também apresentou pedido de CPI – Comissão Parlamentar de Inquérito – para investigar o caso, mas não conseguiu o número regimentar de assinaturas de deputados para protocolar o pedido na Assembleia Legislativa, devido ao boicote da base governista tucana.

*com informações da Folha de S. Paulo, site Brasil 247 e PT Alesp

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.