Denunciado pela Bancada do PT, Paulo Preto é investigado pelo Ministério Público

11/02/2011 16:01:00

Corrupção

 

Alvo de denúncias durante a campanha eleitoral, o ex-diretor da Dersa, Paulo Vieira de Souza, é alvo de investigações do Ministério Público, que instaurou inquérito na última terça-feira (11/02) para apurar as denúncias de enriquecimento ilícito, tráfico de influência, desvio de dinheiro público e improbidade administrativa que envolvem o engenheiro, conhecido como Paulo Preto.

A Bancada do PT apresentou representação ao MP no dia 14 de outubro de 2010 com pedido de investigações desta série de denúncias, inclusive às relacionadas ao tráfico de influência na contratação pela Dersa de um escritório jurídico, onde a filha do ex-presidente da companhia atua, e de indícios de pagamento de propinas para empreiteiras responsáveis por obras públicas.

Por enquanto, a Promotoria Pública apresentou uma solicitação para que Paulo Preto abra espontaneamente suas informações fiscais e bancários e apresente toda a documentação solicitada pela Justiça no prazo de 30 dias.  

Os promotores já apuraram que o ex-diretor da Dersa assinou contratos de obras do Rodoanel com empresas de sua família. A evolução patrimonial de Paulo Preto entre 2007 e 2010, período em que presidiu a Dersa, também será investigada.

Paulo Vieira de Souza trabalha para o PSDB há mais de uma década. Ele atuou no segundo mandato do presidente Fernando Henrique Cardoso, assessorando programas federais, e assumiu a Diretoria da Dersa em 2005.

As estreitas ligações políticas e pessoais com o ex-secretário da Casa Civil de São Paulo, Aloysio Nunes, durante o Governo Serra renderam ao ex-presidente da Dersa o apelido de “o homem-bomba do tucano”.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.