Deputada pede transparência na operação do Sistema Cantareira

28/05/2014

Crise de água

A crise que afeta o Sistema Cantareira, uma das maiores transposições de água do planeta, formado por um conjunto de represas na Região de Bragança Paulista, pelo qual cerca de 9 milhões de habitantes da Grande São Paulo recebem 31 mil litros de água por segundo para abastecimento, foi novamente colocado em debate pela deputada Ana Perugini. “Falta transparência do Governo do Estado na relação com a sociedade paulista”, salienta a deputada.

“Nosso objetivo é monitorar a situação de fragilidade do Sistema Cantareira com a ajuda de especialistas das universidades brasileiras, além de representantes de consórcios e comitês, e de entidades com tradição no setor de saneamento, bem como com a avaliação criteriosa do Ministério Público”, argumentou a deputada Ana Perugini, que, na Assembleia Legislativa, é coordenadora da Frente Parlamentar de Acompanhamento das Ações da Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp).

Levando em conta a avaliação dos especialistas, frisou a deputada, “estamos diante de um momento difícil, dramático, que está a exigir atitude do Governo Estadual, e da Sabesp, que tem a responsabilidade de operar a outorga do Sistema Cantareira, o que, de fato, acontece há quatro décadas”.

A crise, com a falta de água, agravada pela estiagem do início do ano, pode comprometer, sobremaneira, a qualidade de vida da população da Grande São Paulo e da Região Administrativa de Campinas. Comprometer a produção e o emprego. A inoperância do Governo de São Paulo é flagrante, no entendimento do professor Julio Cerqueira. “Projeto oficial para ampliar o sistema de abastecimento não foi feito. Não houve interesse do Governo esses anos todos”, arremata o professor.

O tema foi debatido no programa Assembleia Debate (TV Assembleia Legislativa de SP) no dia 27 de maio, com a participação de dois especialistas da área, os professores, Antonio Carlos Zuffo, da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) e Julio Cerqueira Cesar Neto, da Universidade de São Paulo (USP).

fonte: Ass. Imprensa – dep. Ana Perugini

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *