Deputado da Baixada Santista denuncia sequência de crimes políticos na região

26/11/2010 18:20:00

Violência

 

Ao cobrar a apuração urgente do assassinato do vereador Luis Carlos Romazzini, o deputado Fausto Figueira ressaltou que a cidade de Guarujá tem se notabilizado por crimes contra políticos e defendeu a tese de que o parlamentar deve ter respaldo para a sua livre e combativa atuação.

O vereador petista de 45 anos foi executado com cinco tiros por volta da 1h30 na madrugada do dia 26/11, em sua casa, no distrito de Vicente de Carvalho, depois que três homens armados e não identificados invadiram o imóvel.

Romazzini, que já estava sendo perseguido, de acordo com amigos da família, chegou a ser socorrido, mas não resistiu aos ferimentos. 

“Confio plenamente na capacidade dos policiais e investigadores do Estado de São Paulo, mas essa repetição de acontecimentos nos preocupa sobremaneira. A impunidade não pode estimular que novas tragédias venham a se concretizar”, disse Fausto.

O deputado recordou outros crimes envolvendo políticos de Guarujá, como de maio de 1997, quando o então vereador Orlando Falcão foi morto em uma emboscada; o de novembro de 2001, em que o então vereador Ernesto Pereira foi morto com 12 tiros a uma quadra de sua casa; e ainda o de outubro de 2008, envolvendo o candidato a vereador Williams Andrade Silva, conhecido como Frank Willian, que foi executado na Praia da Enseada, após ser abordado por dois homens armados em uma moto.

Indignado com a morte prematura de “um político brilhante como o Romazzini”, Fausto Figueira apresentou requerimento à Secretaria de Segurança Pública, para apuração urgente do homicídio.

Pesar

O deputado Fausto apresentou ainda um requerimento de voto de pesar à Assembleia e à Câmara do Guarujá pela morte de Romazzini. Ele lembrou que, em virtude de sua formação – professor e advogado -, o vereador ficou muito conhecido por seu temperamento e sua indignação com a injustiça, e pelo trabalho com movimentos ambientalistas e na defesa de direitos coletivos. Esta militância o conduziu à vida política.

“A sua atuação na Câmara de Guarujá caracterizou-se pela ação moralizadora e de fiscalização, além de propositiva, com a elaboração de projetos de amplo alcance social, que o tornaram uma das referências na política na Baixada Santista”, ressaltou o deputado.

Natural de Mato Grosso do Sul, Luís Carlos Romazzini tinha 45 anos, era casado, e estava no segundo mandato. Entre 2000 e 2002, foi suplente de deputado na Assembleia Legislativa. O seu velório será realizado na Câmara Municipal do Guarujá e o sepultamento em São Francisco, interior paulista.

 

 

 

 

 

 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.