Deputados do PT questionam secretário sobre projeto que institui carreira de médico

06/11/2012

Saúde

Em reunião da Comissão de Saúde com o secretário de Estado responsável pela pasta, Giovanni Cerri, os deputados da Bancada do PT cobraram mais diálogo com a secretaria, inclusive no que se refere ao projeto de lei completar do governador que institui a carreira de médico (PLC 39/12).

A Bancada do PT questiona alguns pontos do projeto, como a remuneração. O movimento médico tem uma reivindicação nacional de implantação da carreira médica com valor de R$ 9.813,00 por 20 horas de trabalho por semana.

Segundo Cerri, o projeto prevê salário inicial de R$ 4.100,00 para jornada de 20 horas.

Até deputados da base do governo afirmaram que ainda é uma remuneração muito baixa para a carreira.

O médico sanitarista Fernando Galvanezi, que acompanhava a reunião, afirmou que o projeto não dá garantias. O dentista aposentado Januário Napolitano afirmou que, ao passar para a carreira de cirurgião dentista, que depois foi extinta pelo Estado, teve uma perda enorme na aposentadoria.

Os deputados do PT Gerson Bittencourt e Geraldo Cruz afirmaram que não conseguem agendar uma reunião com o secretário. Bittencourt, inclusive, falou sobre a demora da secretaria de Saúde para liberar recursos para emendas aprovadas.

As Organizações Sociais (OSs) foram novamente objeto de questionamento dos deputados petistas, principalmente no que se refere à transparência e controle social.

O secretário afirmou que hoje há um coordenador da OSs, o promotor Mário Coimbra. O deputado Adriano Diogo pediu, então, que ele faça uma apresentação da situação das OSs à Comissão de Saúde.

Bittencourt também destacou os mais de R$ 7 bilhões que estavam no Orçamento da Saúde entre 2001 e 2011 e que não foram gastos. “Auditoria do SUS realizada em 2009 com dados de 2006 mostra que R$ 2,1 bi deixaram de ser gastos só naquele ano. Isso significa que havia recursos, não suficientes, mas se pecou na gestão”, afirmou o deputado.

A reunião foi presidida pelo deputado do PT Marcos Martins.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *