Deputados e vereadores do PT pedem suspensão de demolições e de despejo de moradores da cracolândia

24/05/2017

CRACOLÂNDIA

Crédito:

Termo de interdição de Doria expulsa moradores do Centro

Nesta quarta-feira (24), depois de visitar a região da Luz conhecida como Cracolândia, onde Alckmin e Dória têm feito uma ação violenta e higienista desde o último domingo, e nesta semana seguem derrubando imóveis com pessoas dentro, o deputado estadual e líder do PT na Assembleia, Alencar Santana Braga, reuniu uma comitiva composta pelas deputadas Beth Sahão e Márcia Lia, pelos vereadores Antonio Donato, que é líder da Bancada do PT na Câmara, Alfredinho, Paulo Reis e Juliana Cardoso. O grupo foi ao Ministério Público Estadual e entregou ao subprocurador Mario Luiz Sarrubbo um pedido de suspensão imediata das ações de despejo dos moradores, de demolição dos imóveis e de internação compulsória dos dependentes químicos encabeçadas pelo prefeito João Doria e pelo Governo do Estado de Geraldo Alckmin.

Os deputados petistas e os vereadores ressaltaram a necessidade dar enfoque humanizado e tratar a questão da cracolândia considerando que se trata de problema de saúde pública e de assistência social, observando que as ações desta semana estão sendo realizadas sem amparo legal e sem o devido debate com moradores. “O MP precisa agir para que esses abusos não se tornem regra”, disse o deputado Alencar Santana Braga.

A vereadora Juliana Cardoso denunciou que os moradores estão sendo ameaçados de terem suas casas derrubadas.

Já a deputada Beth Sahão observou que muitos moradores não puderam retirar pertences pessoais dos imóveis antes de serem lacrados.

Márcia Lia foi enfática ao classificar como arbitrária a medida do prefeito: “Nós estivemos falando com o agente da Defesa Civil, que disse que não há nenhum laudo sobre os riscos de demolição dos imóveis. Há crianças, mulheres e famílias no local”, alertou.

O procurador Mario Sarrubbo garantiu que hoje mesmo faria o encaminhamento da representação dos petistas e que o Ministério Público não ficará à margem do problema.”Iremos verificar na autuação os aspectos da legalidade, direitos humanos, saúde pública, patrimônio e inclusive a atuação da Polícia Militar”.

A reunião terminou com o deputado Alencar Santana Braga apontando a urgência da situação: “São vidas humanas que estão sendo afetadas por uma decisão sem base legal do prefeito; São Paulo não pode ser tratada como uma terra sem lei”, salientou.

Leia mais

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *