Dersa ainda não indenizou famílias removidas para construção do Trecho Sul do Rodoanel

18/05/2011 18:44:00

Manifestação

 

Após manifestação em que cerca de 100 pessoas acamparam em frente a sede do Dersa, no bairro do Itaim Bibi – Capital, solicitando que a empresa estatal cumpra os acordos com as 101 famílias que tiveram suas casas desapropriadas para construção da interligação do Trecho Sul do Rodoanel com a avenida Jacu-Pêssego, em Mauá, a empresa recebeu os moradores.

A representante dos moradores, Vânia, explicou que o Dersa se comprometeu a indenizar as famílias até o final de 2010 e, até o momento, não cumpriu o prometido.

Nesta quinta-feira (18/5), depois do ato de protesto, os moradores foram recebidos pelo diretor jurídico da Dersa, Paulo Vargas, que se comprometeu a apresentar uma solução até a próxima sexta (21/5) para as 18 famílias que assinaram acordo e que deveriam ter recebido suas indenizações em agosto de 2010. O Dersa já havia adiado por duas vezes este pagamento, em 30/11/2010 e 30/3/2011, e não o efetuou.

O diretor jurídico também se comprometeu que, em um prazo de 20 dias, retomará as negociações com as outras 83 famílias, que foram retiradas de suas casas e que ainda não assinaram acordo e muito menos indenizadas. As famílias estão vivendo em áreas sujeitas a enchentes, em meio ao lixo e, muitas, sob viadutos.

Os valores das indenizações variam entre R$ 20 mil e R$ 400 mil e totalizam um montante de R$ 6,2 milhões.

Trecho Norte

Em audiência publica, na Assembleia Legislativa, que discutiu o traçado para a construção do Trecho Norte do Rodoanel, moradores da região de Guarulhos e Serra da Cantareira demonstraram também sua preocupação com o fato do Dersa não cumprir os acordos de remoção e pagamentos.

Os parlamentares do PT, atentos a esta problemática, querem acompanhar os impactos sociais e ambientais e seus reflexos sobre cerca de 20 mil famílias que poderão ser atingidas pelo projeto definido pela administração do governo Alckmin e executado pelo Dersa, no Trecho Norte do Rodoanel.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *