Desalojados do Pinheirinho ainda esperam por solução

04/06/2012

4 meses depois

Passados quatro meses da desocupação do Pinheirinho, em São José dos Campos, o governo do Estado ainda não apresentou uma solução para as cerca de seis mil pessoas que foram desalojadas.

Representantes dos moradores da comunidade e a Companhia Habitacional de Desenvolvimento Urbano (CHDU) estiveram reunidos na semana passada para discutir sobre a situação das famílias, mas o governo estadual pediu mais um tempo para dar uma resposta às reivindicações e propostas apresentadas.

Os moradores foram desalojados em 22 de janeiro pela tropa de choque da Polícia Militar. As famílias estão vivendo em condições precárias e exigem uma solução imediata do governo para a habitação. Segundo o advogado das famílias do Pinheirinho, Antônio Donizete Ferreira, foram levadas na reunião com o poder público – a primeira desde a desocupação, opções de terrenos para a construção de moradias.

As famílias têm procurado terrenos na região e uma das áreas avistadas possui 1 milhão e 200 mil metros quadrados, igual ao tamanho do Pinheirinho, onde moravam. “Esperamos que haja uma boa proposta para os moradores. A nossa luta, inclusive, é para o restante dos sem-teto de São José dos Campos. Se o governo de São Paulo tiver interesse em fazer isso junto ao governo federal, será possível resolver o problema não só das famílias do Pinheirinho, porque os terrenos são grandes até mesmo para construir mais unidades habitacionais”, afirmou.

No dia 22 de julho, seis meses da desocupação, os moradores anunciam que farão um ato em São José dos Campos.

Com informações: Rede Brasil Atual

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.