Desconto no pedágio: não foi dessa vez

24/04/2009 17:55:00

Transportes

 

 

Recentemente, o governo Serra anunciou, com todas as pompas, a queda no preço das tarifas de pedágio no corredor rodoviário Ayrton Senna / Carvalho Pinto. Para percorrer este sistema rodoviário com extensão de 142 quilômetros, o usuário paga atualmente R$ 27,00. Com a licitação promovida pelo governo, esse valor deveria ser de R$ 13,00 desde o último dia 20/4.

Só que tal fato não aconteceu, pois a Triunfo Participações e Investimentos S A, empresa vencedora da concessão, não teve fôlego para depositar a primeira parte do ônus do contrato. Esse valor é de R$ 118,8 milhões para o Tesouro paulista, 20% do total de R$ 594 milhões.

Agora resta à Artesp, a agência reguladora, chamar o segundo colocado e travar uma batalha jurídica com a empresa vencedora. Esta é a segunda rodada de problemas no leilão desse lote de rodovias. A BRVias que venceu o leilão da Marechal Rondon não tinha conseguido oferecer as garantias para assumir a rodovia.  Por duas vezes foi desclassificada e, após inúmeras mudanças de pareceres, a empresa foi declarada vencedora.       

Resta agora ao usuário do Sistema Ayrton Senna/Carvalho Pinto continuar pagando R$ 27,00 para percorrer a rodovia. Mesmo se houver redução da tarifa, ela vai superar os R$ 13,00 previstos inicialmente. A tarifa deverá ser de R$ 16,00.

O pedágio da viagem de São Paulo a Belo Horizonte pela rodovia federal Fernão Dias, concedida à iniciativa privada pelo governo Lula em fevereiro de 2008, sai por R$ 8,80. Já para percorrer os 142 quilômetros da Rodovia Ayrton Senna/Carvalho Pinto, o motorista paga hoje 206% a mais do que na rodovia federal. Ainda que fosse mantida a redução da tarifa para R$ 13,00, o motorista pagaria 47% a mais.

No modelo adotado pelos tucanos, o contribuinte paulista paga as rodovias duas vezes: a primeira quando ela é construída, com recursos de impostos, e a segunda, quando a rodovia é concedida a uma empresa privada, através dos pedágios.

Leia aqui a reportagem da Folha de São Paulo “Concessão da Ayrton Senna é cancelada”, publicada no dia 24 de abril

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.