Dia 30: relançamento da Frente de acompanhamento das ações da Sabesp

13/09/2011 17:35:00

Frente Parlamentar

 

A Frente Parlamentar de Acompanhamento das Ações da Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp) será relançada no próximo dia 30 de setembro, às 14 horas, no Auditório Teotônio Vilela, na Assembleia Legislativa. A informação é da deputada Ana Perugini, coordenadora da Frente Parlamentar, criada por meio do Projeto de Resolução 41, de 2007, no Parlamento Paulista. Com a iniciativa, a expectativa do mandato é proporcionar ampla participação da sociedade no debate do Saneamento Básico em todo o Estado, especialmente por conta da atuação da Sabesp, como concessionária que se faz presente em 364, dos 645 municípios. De acordo com a Organização das Nações Unidas, mais de 3 mil crianças morrem por dia em todo o mundo por doenças resultantes da falta de água tratada. Isso significa que mais de um milhão e meio de crianças morrem todo ano por doenças relacionadas à ausência de saneamento básico, que representa, portanto, na avaliação da deputada Ana Perugini, “o grande desafio no século 21 para que a vida seja garantida em plenitude para todos os povos”.

O Brasil, infelizmente, não está livre das doenças de veiculação hídrica, que continuam provocando milhares de internações e muitas mortes anuais. A maior causa dessa tragédia social é o enorme déficit no saneamento básico ainda existente no país, fruto do descaso de sucessivos governos ao longo do século 20. Nos últimos anos houve uma renovação de esperanças, em função da retomada de investimentos em saneamento por parte do governo federal e da publicação de novas leis que garantem a universalização do saneamento, em benefício das atuais e futuras gerações. Entretanto, muito ainda está parra ser feito, inclusive no Estado mais rico da federação, “o nosso querido Estado de São Paulo”, salienta Ana Perugini. O povo paulista não pode mais aceitar que, com tantos impostos pagos e riquezas geradas no Estado, acrescenta a deputada, “ainda tenhamos um índice de tratamento de esgotos urbanos de cerca de 40%”.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.