Direitos Humanos realizará audiência sobre exposição da intimidade sexual de meninas

28/05/2015

Comissão na Alesp

Crédito:

A pedido da vice-presidente da Comissão de Direitos Humanos, deputada Beth Sahão, será realizada audiência pública para apurar a exposição da intimidade sexual de meninas das regiões do Grajaú e Paralheiros, na capital, que estão sendo agredidas por meio de vídeos humilhantes postados em redes sociais como Facebook, Google e Whatsapp. O requerimento para a audiência foi aprovado em reunião nesta quarta-feira (27/5).

“Iremos convocar representantes de coletivos feministas, especialistas em direito digital e representantes do Ministério Público e das áreas da saúde e educação, que atuam naquela região da capital. Fiz questão também de pedir a convocação dos presidentes do Facebook e do Google no Brasil. Ora, se esses conteúdos circulam livremente em locais como Youtube, Facebook e Whatsapp é porque essas empresas também são omissas em relação a isso. E isso chega a ser revoltante”, destacou a parlamentar petista.

Presente na reunião da Comissão, a ativista Elânia Francisca, do coletivo Mulheres em Luta, lembrou que esse tipo de prática não está restrita aos bairros paulistanos. “Em todo o Brasil, milhares de garotas e mulheres têm sua intimidade exposta, de maneira agressiva e violenta. A sociedade e o poder público precisam dar um basta a esse crime”, disse Elânia.

Beth Sahão também apresentou requerimento para que seja oficiado o Ministério Público de Catanduva para apurar suposto estupro de vulnerável naquele município.

Refugiados haitianos

A Comissão de Direitos Humanos também aprovou requerimento para audiência pública que debaterá ações de proteção e acolhimento de refugiados haitianos no Estado de São Paulo, bem como ouvir as autoridades responsáveis pelo recente fluxo de imigração do país caribenho.

A deputada Marcia Lia, que também representa o PT na Comissão, enfatizou a importância de debater a questão dos haitianos e com a máxima urgência, pois sua situação é de condições precárias de trabalho e há uma falta de sintonia entre os diversos entes da federação. (sc)

Leia mais

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.