DONISETE BRAGA

15/12/2011

Crédito:

Donisete durante audiência pública na Assembleia Legislativa

Em 2011, o avanço do crack e outras drogas exigiu ação determinante

O deputado é coordenador da Frente Parlamentar de Combate ao Crack

Ao fazer um balanço de 2011, merece destaque a criação da frente parlamentar que mobilizou poder público e sociedade o ano inteiro no combate ao crack e outras drogas, inclusive com o lançamento de cartilhas para contribuir nesta luta, e também no combate à violência contra a mulher e racismo na infância. O deputado Donisete Braga ainda aprovou projeto que proíbe exposição de cigarros em pontos de venda; criou, por lei, a Região Metropolitana de São Paulo e avançou nos debates em defesa do meio ambiente, especialmente no cumprimento das leis específicas de proteção aos mananciais.

O fato é que o avanço do crack em todos os municípios paulistas, conforme constatou mapeamento que a frente realizou, com ampla divulgação na imprensa, somado à inexistência de redes públicas de serviços de prevenção e tratamento dos dependentes, exigia ação determinante do legislativo. Afinal, famílias estão sendo destruídas e clamam por ajuda. Vinte e nove deputados aderiram, assim como a Confederação Nacional dos Municípios (CNM). Donisete Braga coordena desde então os trabalhos, que continuam enquanto persistirem as demandas.

Foram inúmeros debates envolvendo autoridades, especialistas e sociedade, ida à cracolândia, visitas a entidades, testemunhos de dependentes e reuniões com o prefeito da Capital, Gilberto Kassab, com o ministro da Saúde, Alexandre Padilha, e com o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, entre outras autoridades.

Da frente parlamentar, estas autoridades receberam relatórios sobre o avanço do crack nos municípios e as demandas da sociedade, como o aumento de leitos hospitalares para dependentes, ajuda financeira às entidades, ampliação do número dos Centros de Apoio Psicossocial (Caps AD), construção de Centros de Referência em Álcool, Tabaco e Outras Drogas nas sedes de regiões administrativas, além de integração das ações e campanhas permanentes de prevenção às drogas, especialmente nas escolas, e um combate mais intenso ao tráfico.

Em 7 de dezembro último, assistimos à presidente Dilma lançar um conjunto de ações que contemplam reivindicações levadas ao ministro da Saúde, Alexandre Padilha, pelos deputados desta frente parlamentar.

A frente também apresentou emenda conjunta ao Orçamento do Estado no valor de R$ 170 milhões, para prevenção e tratamento em 2012. Os desafios são grandes, nossa luta será contínua para dotar o Estado de uma Política Estadual de Combate às Drogas. Uma política realmente de Estado, e não de governos, porque estes passam.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.