Em defesa das mulheres na Comissão de Segurança

26/09/2013

Audiência pública

Em defesa das mulheres, vai chegar à Comissão de Segurança

A pedido da deputada Ana Perugini, a Comissão de Segurança Pública e Assuntos Penitenciários da Assembleia Legislativa vai receber vários grupos de mulheres de diferentes regiões do Estado para avaliar as principais reivindicações das lideranças municipais a respeito de temas, considerados flagelos da atualidade: carência de equipamentos sociais, falta de serviços públicos nas áreas policial e assistencial, além da escalada da criminalidade. Essas são algumas das queixas levantadas pela Frente Parlamentar em Defesa dos Direitos das Mulheres, da qual a deputada é coordenadora em São Paulo.

A audiência pública da Comissão de Segurança já tem data definida: no próximo 23 de outubro, (uma quarta-feira), às 14 horas, no Auditório Paulo Kobayashi, na Assembleia, no Ibirapuera, na Capital. “O Governo do Estado não pode fechar os olhos para as necessidades das mulheres e das famílias paulistas. E o nosso compromisso é dar voz à população”, reafirma Ana Perugini.

Em todo o Estado, Ana Perugini tem incentivado o debate a respeito da estrutura assistencial e policial colocada à disposição das mulheres. As reclamações são muitas, a contar da precariedade dos serviços ofertados por meio da Secretaria Estadual de Segurança Pública.

A falta de recursos humanos e materiais é a tônica em praticamente todos os municípios. O mesmo acontece na área judicial devido à falta de Juizados Especiais. A Saúde é outra preocupação das mulheres, reconhece a deputada, autora de projetos de lei voltados para a conscientização e combate a determinadas doenças, como endometriose e infertilidade, como também o câncer do colo do útero. Desde 2007, a deputada luta pela adoção da vacina contra o HPV, vírus que provoca o câncer uterino. “Queremos a vacinação na rede pública, uma responsabilidade que o Governo Estadual precisa assumir”, conclama.

Secretaria de Políticas Públicas para as Mulheres

“Esse é o nosso objetivo ao estimular o processo de conscientização de todos os segmentos da sociedade paulista, com a troca de conhecimentos e experiências por meio de palestras, encontros, fóruns e audiências, como forma de atender às necessidades das mulheres. Porque não dá mais para suportar o descaso com os registros de violência doméstica. Porque não dá para aceitar a falta de ampliação dos serviços de defesa, como Delegacias da Mulher e Casas-Abrigo. Porque precisamos de mais investimentos na saúde, no apoio ao empreendedorismo e políticas públicas eficientes. Porque temos que ter mais participação na política e nos poderes constituídos. Fizemos a Indicação ao Governo do Estado. Vamos agora levar esse grande movimento popular e libertador das mulheres, da Região de Campinas, da Região de Piracicaba, e de todas as regiões do Estado, para uma audiência da Comissão de Segurança Pública e Assuntos Penitenciários”, argumenta Ana Perugini.

fonte: Ass. Imprensa – dep. Ana Perugini

Leia mais

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *