Em plenário, deputado Zico é indicado líder do PT

23/03/2016

Novo líder

O deputado José Zico Prado foi indicado, nesta terça-feira, em plenário, o novo líder da Bancada do Partido dos Trabalhadores na Assembleia Legislativa de São Paulo. Aos 70 anos, Zico é o deputado com mais mandatos eletivos da atual Bancada do PT. Experiente, foi líder dos partidos de Minoria na gestão 2013/2014 e líder da Bancada do PT entre 2000/2001.

Metalúrgico ferramenteiro, nascido no interior do Estado e morador da periferia da zona leste, bairro de São Mateus, Zico tem uma trajetória iniciada nas comunidades eclesiais de base da Igreja Católica, nos anos 60, passando pelo movimento sindical e Oposição Sindical Metalúrgica de São Paulo. Foi mais uma das vítimas da ditadura, tendo sido preso e torturado em 1972, durante o regime militar. É filiado ao PT desde a fundação do Partido.

Tem como base de atuação as áreas de transporte, agricultura, funcionalismo público e temas de interesse social. É dele a primeira proposta de Bilhete Único Metropolitano, apresentada no Legislativo no inicio dos anos 90. Entre Leis de sua autoria, a que concede meia-entrada para professores da rede pública estadual em eventos de cultura e lazer e o projeto que organiza a agroindústria familiar de produtos de origem animal, definindo regras fitossanitárias específicas para que os pequenos possam agregar valor ao produto comercializado.

Zico assume a liderança da Bancada do PT num momento de intensa disputa política e ideológica. Para enfrentar os desafios do atual cenário, o líder petista aposta na unidade de ação da bancada, dentro e fora do Parlamento. “Nossa proposta de Liderança passa pelo claro papel de que nós, deputados e deputadas, somos fios condutores, o elo entre Parlamento e Sociedade”.

O deputado petista pretende potencializar, através das redes sociais envolvidas com a defesa da democracia, as informações e posicionamentos da Bancada. “CPI da Merenda, Máfia do Trensalão, Reorganização Escolar, Críse Hídrica são alguns exemplos de pautas que a Bancada se apropriou de maneira coesa, gerando aproximação com os movimentos e debates horizontais na sociedade. Se não temos grandes meios de comunicação, temos mãos firmes para digitar e voz grave para anunciar que não ficaremos calados, passivos diante de golpes à democracia e ao estado de direito”, analisa.

Zico propõe ainda um grande pacto de deputados estaduais Brasil afora que compõem o campo democrático popular, para unir forças e qualificar o debate, as propostas e as respostas aos ataques que criminalizam o PT e a política. “Quem saiu perseguido por jagunços de fazendeiro de Santa Fé do Sul, foi preso pela ditadura e eleito do chão de fábrica para o Parlamento não tem mais nada a temer. Estamos na trincheira, deputados e militância, e dela só sairemos quando a Democracia e o resultado das urnas forem respeitados.”

Minoria

Na ocasião, a deputada Ana do Carmo foi indicada para líder da Minoria na Casa. Ana do Carmo iniciou sua militância na luta sindical durante as greves trabalhistas de 1979 e 1980, quando era operária. É filiada ao PT desde sua fundação. Atua no movimento popular e de mulheres e nas lutas dos moradores por melhorias nos bairros desde os anos 70. Foi eleita vereadora em São Bernardo do Campo em 1988, quando, então, passou a intensificar seu trabalho junto ao povo pobre da cidade. Reelegeu-se vereadora por mais três mandatos. Elegeu-se deputada estadual em 2014 pela quarta vez.

Leia mais

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.