Em São Paulo, motoristas trafegam por Marginal sem guardrails e Rodoanel sem luz

08/10/2010 17:21:00

Obras inacabadas

 

 

“Pode ser mortal”, diz o engenheiro Sergio Ejzenberg, mestre em Transportes pela Escola Politécnica da Universidade de São Paulo, em referência aos riscos de acidentes provocados pela falta de guardrails nas novas pistas da Marginal do Tietê, inauguradas há seis meses. No trecho Sul do Rodoanel, também inaugurado no semestre passado, além da ausência de barreiras, há também o problema da iluminação, que ainda é obtida através de geradores.

Postes recém-instalados na Nova Marginal e as novas placas de sinalização estão expostos a poucos metros da passagem dos carros, sem a proteção de muretas de concreto ou defesas metálicas, como recomenda a Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT).

Qualquer saída corriqueira da pista nestas circunstâncias, provocada por aquaplanagem ou fechada de outro veículo, é fatal. No trecho Sul do Rodoanel, duas pessoas morreram em acidentes agravados pela ausência de barreiras.

“Segundo a Insurance Institute for Highway Safety, empresa americana que estuda a segurança de trânsito, uma colisão a 100 km/h contra um poste ou árvore de grande porte tem entre 40% e 85% de probabilidade de ser fatal. Já a batida contra um guardrail ou uma barreira de concreto na mesma velocidade tem entre 10% e 50% de possibilidade de causar morte do motorista”, explica reportagem do Jornal O Estado de São Paulo sobre a falta de guardrails, publicada nesta sexta-feira (08/10).

O engenheiro Ejzenberg alerta que as vítimas de acidentes provocados pela falta de barreiras podem acionar judicialmente o Estado. Os motoristas enfrentam ainda um outro problema na Nova Marginal, que é ausência de iluminação em alguns trechos. Até agora, o sistema foi instalado em apenas 12,9 dos 23 quilômetros.

Geradores

“Pode ser mortal”, diz o engenheiro Sergio Ejzenberg, mestre em Transportes pela Escola Politécnica da Universidade de São Paulo, em referência aos riscos de acidentes provocados pela falta de guardrails nas novas pistas da Marginal do Tietê, inauguradas há seis meses. No trecho Sul do Rodoanel, também inaugurado no semestre passado, além da ausência de barreiras, há também o problema da iluminação, que ainda é obtida através de geradores.

 

Postes recém-instalados na Nova Marginal e as novas placas de sinalização estão expostos a poucos metros da passagem dos carros, sem a proteção de muretas de concreto ou defesas metálicas, como recomenda a Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT).

Qualquer saída corriqueira da pista nestas circunstâncias, provocada por aquaplanagem ou fechada de outro veículo, é fatal. No trecho Sul do Rodoanel, duas pessoas morreram em acidentes agravados pela ausência de barreiras.

“Segundo a Insurance Institute for Highway Safety, empresa americana que estuda a segurança de trânsito, uma colisão a 100 km/h contra um poste ou árvore de grande porte tem entre 40% e 85% de probabilidade de ser fatal. Já a batida contra um guardrail ou uma barreira de concreto na mesma velocidade tem entre 10% e 50% de possibilidade de causar morte do motorista”, explica reportagem do Jornal O Estado de São Paulo sobre a falta de guardrails, publicada nesta sexta-feira (08/10).

O engenheiro Ejzenberg alerta que as vítimas de acidentes provocados pela falta de barreiras podem acionar judicialmente o Estado. Os motoristas enfrentam ainda um outro problema na Nova Marginal, que é ausência de iluminação em alguns trechos. Até agora, o sistema foi instalado em apenas 12,9 dos 23 quilômetros.

Geradores

Geradores movidos a óleo diesel ainda são a fonte da iluminação no Trecho Sul do Rodoanel. O prazo estipulado para a conclusão do sistema de energia elétrica terminou há três meses. Nesta semana, um dos geradores entrou em pane, deixando sem iluminação a região da Represa Billings, em São Bernardo.

Estão iluminados com este sistema os acessos para as Rodovias Anchieta, Imigrantes e Régis Bittencourt, a interligação com a Avenida Papa João XXIII, em Mauá, e as pontes sobre as Represas do Guarapiranga e Billings.

 

 

 

 

 

 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.