Em SP, petistas evangélicos buscam criação de núcleo dentro do partido

16/11/2015

PT

Por iniciativa do deputado Luiz Fernando Teixeira, realizou-se nesta sexta-feira, 13/11, na Assembleia Legislativa, o 1º Encontro de Evangélicos do PT do Estado de São Paulo.

Segundo o parlamentar, o evento faz parte de uma iniciativa para estruturar um núcleo evangélico dentro do Partido dos Trabalhadores no Estado de São Paulo, ideia que se fortaleceu após a realização de dois encontros em Brasília, com a participação de representantes evangélicos de diversas unidades da Federação.

“Estamos pensando em como nos articular mais e melhor para ajudar a realizar, no país, as transformações com que sonhamos. Vamos organizar núcleos dentro do PT em cada município”, propôs Luiz Fernando.

A deputada Benedita da Silva (PT/RJ), que se definiu “PTcostal”, apoiou a iniciativa do parlamentar paulista. “Vamos fazer um debate para que não haja contradição entre fé, política e orientação partidária, com transparência, para combater possíveis discriminações internas”, afirmou Benedita.

Ela lamentou o fato de, mesmo num Estado laico, os problemas atuais do país e as dificuldades enfrentadas pelo PT não estarem sendo discutidas “à luz da palavra de Deus”. Ela propôs que já dentro das redes sociais “marquemos nosso posicionamento cristão com relação a tudo que está acontecendo”.

A necessidade de que se fortaleçam, dentro do PT, valores de referência propostos pela religião foi destacada pelo deputado federal Nilto Tatto (PT/SP). “Os valores cristãos nos mostram a responsabilidade de cuidar de toda a criação de Deus”, observou Tatto, incluindo nesse espectro de cuidados desde o respeito aos direitos básicos até a atenção com o meio ambiente. “É preciso mobilizar os evangélicos dentro do projeto político para o Brasil”, arrematou.

Integrante do grupo Evangélicos pela Justiça, Geter Barbosa afirmou que ser evangélico e petista acarreta enfrentar uma série de dificuldades e desafios. “Necessitamos nos organizar melhor, e não só nos períodos eleitorais, para aumentar nossa capacidade de contribuição para o enfrentamento de problemas sociais e a defesa da democracia”, disse.

Para Barbosa, a ameaça a programas como o Bolsa Família e outros avanços sociais exige militância redobrada e para isso o núcleo evangélico petista pode contribuir “combatendo o ódio com o amor, a vontade de retrocesso com a vontade de avanço”.

Definindo-se como eleitor petista, e não membro do partido, o pastor Ariovaldo Ramos, avaliou que boa parte da comunidade evangélica recuou em relação ao apoio às causas defendidas pelo PT, num momento em que a menção à sigla passou a ser considerada uma ofensa.

“Não tenho vergonha de ser petista e evangélico. Acredito nesse projeto porque é um projeto que venceu a fome, tirou 40 milhões de brasileiros da miséria, construiu um mercado interno e transformou o Brasil num país de justiça”, declarou.

O projeto do Partido dos Trabalhadores optou por cumprir a pauta de Jesus, contra a fome e a segregação, a favor do acolhimento e dos direitos humanos, com políticas sociais nas áreas do trabalho, meio ambiente, transporte e saúde, entre outras, avaliou o pastor Ariovaldo.

O vereador paulistano Paulo Fiorillo, presidente do Diretório Municipal do PT, elogiou a iniciativa de formação do núcleo evangélico no partido e apontou a importância de valorizar o debate e fortalecer ações depois do encontro realizado nesta sexta-feira. Ele aventou ainda a hipótese de realização de um encontro de evangélicos na capital e de expansão dos núcleos no interior do Estado.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.