Enio Tatto cobra Orçamento regionalizado em Franca

26/11/2007 13:21:00

Orçamento -2008

 

 

 

A 18º Audiência Pública realizada pela Assembléia Legislativa de São Paulo, sobre a proposta Orçamentária 2008,  no município de Franca contou com a participação de três  deputados estaduais.

 

 

O petista Enio Tatto frisou a importância dessas audiências para futuramente chegar ao Orçamento regionalizado que tornará mais democrática peça orçamentária. Tatto criticou a subestimação das receitas do Orçamento estadual que dessa forma vira uma peça de ficção e faz com não se destine corretamente os recursos para despesas e explicou que a correção do Orçamento pode ser feita através de emendas apresentadas na Assembléia.

 

 

O deputado citou  dados do Orçamento da saúde onde os recursos não cresceram de forma proporcional ao do Orçamento geral, “ despesas que não são da área da saúde como  Viva Leite a alimentação de presidiários foram contabilizados de forma irregular no Orçamento da saúde”, mencionou.

 

 

Na educação ocorre a mesma coisa, os recursos não cresceram na mesma proporção, isso faz com que essas áreas essenciais não prestem um serviço digno para a população.  O deputado também destacou a necessidade de aumentar a verba para a Defensoria Pública, pois os recursos alocados são insuficientes.

 

 

O funcionalismo público é outra vítima do governo do PSDB que não prevê aumento de salário no Orçamento estadual e quem sofre com o baixo número de funcionários públicos e a falta de treinamento é a população que é atendida por esses profissionais.  Para o deputado “ o dia em que tivermos Orçamento regionalizado a população poderá participar mais e os recursos serão melhor distribuídos”.

 

 

Na audiência houve a participação dos vereadores Gilsom Pelizaro e Silas Cuba, que enfatizaram a necessidade de construção de escolas na região, a duplicação da rodovia Cândido Portinari até a divisa com Minas Gerais e a correção da chamada “curva da morte” dessa rodovia que recentemente provocou mais de 40 vítimas fatais na região, foram as reivindicações mais defendida pela população.   

 

 

Integrantes da Defensoria Pública cobraram recursos para trabalharem de forma digna. Representantes da APAE, também pleiteiam mais recursos estaduais.             

 

 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.