Entidades realizam ato em defesa do Programa Mais Médicos

22/08/2013

No Estado de SP

Pela construção de um SUS de qualidade, com controle social e acesso universal. É isso que pedem os apoiadores do Ato em defesa do Programa Mais Mais de vinte entidades, entre associações, sindicatos, partidos políticos e instâncias governamentais aderiram ao movimento.

Lançado há um mês pela presidenta Dilma Rousseff, o Programa Mais Médicos faz parte de um amplo pacto de melhoria do atendimento aos usuários do SUS. Neste período, parlamentares do Partido dos Trabalhadores demonstraram seu apoio ao programa, que objetiva contratar médicos para trabalharem nas regiões carentes do Brasil. A contratação de profissionais estrangeiros ocorrerá caso os postos não sejam preenchidos por médicos formados no País.

Estado de SP também registra falta de profissionais

São Paulo registra desigualdades expressas entre o número de médicos trabalhando na capital e em muitos municípios do interior. Exemplos disso são Registro, que apresenta uma média de menos de um médico por 1.000 habitantes (0,75); Araçatuba e Franca, com médias de 1,33 e 1,43, respectivamente.

Levar mais médicos para perto da população ainda permanece como um dos principais gargalos para ampliar o atendimento no SUS, apesar de iniciativas como o PROVAB.
Para suprir a carência que persiste, o governo federal lançou o Programa Mais Médicos para o Brasil, em junho último, com o objetivo de ampliar vagas em formação de medicina e de residência médica e a atração de médicos para atuar na atenção básica.

Os médicos receberão uma bolsa no valor de R$ 10 mil mais ajuda de custo integralmente pagas pelo Ministério da Saúde. Caso os médicos brasileiros não ocupem todas as vagas oferecidas, o médico estrangeiro poderá participar do programa, desde que tenha habilitação de seus países para o exercício da profissão e tenha conhecimento em língua portuguesa.

Os recursos de investimentos previstos para o Programa Mais Médicos totalizam R$ 14,9 bilhões no período 2013 – 2014.

Defesa do Programa Mais Médicos – carta das entidades

Pela construção de um SUS de qualidade, com controle social e acesso universal

O Brasil tem como missão constitucional garantir o acesso universal e integral de toda população ao Sistema Único de Saúde.

Com o objetivo de levar atendimento médico às regiões carentes, como os municípios do interior ou e as periferias da grandes cidades em nosso País e para atender à forte demanda social e classista, o Programa Mais Médicos é parte fundamental dessa estratégia.
Vamos fortalecer o controle social sobre essa proposta!

Assinam:

União Estadual dos Estudantes – UEE-SP
Coletivo Graúna de Juventude do PT
Levante Popular da Juventude
Movimento ParaTodos – UNE
Movimento Popular de Saúde
Sindicato dos Trabalhadores Públicos da Saúde do Estado de São Paulo – SINDSAUDE SP
Marcha Mundial de Mulheres
Sindicato dos Metalúrgicos do ABC
Secretaria de Mulheres do PT Municipal
Setorial Sindical Nacional do Partido dos Trabalhadores
Sindicato dos Enfermeiros do Estado de São Paulo – SEESP
Sindicato dos Psicólogos do Estado de São Paulo
Sindicato dos Metalúrgicos de Taubaté
Sindicato dos Bancários do Estado de São Paulo
Conselho dos Secretários Municipais de Saúde – COSEMS
Federação Estadual dos Trabalhadores em Seguridade Social-SP – FETTS
Sindsaúde de Guarulhos
Sindsaúde ABC
Sindicato dos Agentes Comunitários de Saúde da Região Metropolitana de São Paulo
Diretório Municipal de São Paulo do Partido dos Trabalhadores
Diretório Estadual de São Paulo do Partido dos Trabalhadores
Secretaria Estadual de Mulheres do PT de São Paulo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *