Estado expande USP Leste em área contaminada

18/04/2012

Risco de explosão

Governo paulista expande USP Leste em área contaminada

Terreno da escola possui material extraído do rio Tietê

O governo do Estado cedeu à universidade um terreno vizinho a atual unidade, com 43 mil m², que está contaminado, pois recebeu terras retiradas do fundo do rio Tietê, carregadas de substâncias nocivas à saúde. Com risco de explosão, semelhante ao caso do shopping Center Norte, o local só poderá ser ocupado desde que sejam feitas intervenções como a instalação de dutos para extração de gases.

Na área original, que ainda não conta com licença ambiental, até agora não foram instalados todos os dutos necessários (faltam dois dos nove exigidos), o que emperrou a emissão, pela Cetesb, da licença ambiental plena de operação.

Em tese, alguns edifícios não poderiam estar em funcionamento. A licença em vigor é parcial, válida para algumas áreas do campus.

Segundo o atual diretor da EACH (nome oficial da unidade), José Jorge Boueri Filho, não há riscos na escola e a documentação pendente já foi entregue à Cetesb. Assim que o projeto for aprovado, afirmou, serão instalados os dutos faltantes.

A região a ser usada para a ampliação do campus também precisará ter dutos, desde o subsolo até a atmosfera.

Em nota, a Cetesb afirma que não foi informada sobre a expansão da escola.

Segundo o diretor da EACH, “os equipamentos não serão apenas da universidade, são demanda da comunidade local”. Como contrapartida pela permissão do uso da área, a escola instalará um centro de atendimento a idosos, com atividades físicas e de saúde.

*com informações do jornal Folha de S. Paulo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.