Estado não bloqueia celulares nos presidios

13/11/2012

Sem isolamento

O governador Geraldo Alckmin disse que o Estado tem dificuldades para impedir o uso de telefones celulares pelos presos. Segundo ele, “não há ainda tecnologia detalhada no sentido de bloquear apenas uma pequena área. Então, ou você não consegue bloquear ou bloqueia área muito grande”. O governador parece ignorar que além da questão do sinal, não pode também ser permitida é o acesso destes aparelhos pelos presos – a revista das visitas nos presídios está sendo falha.

Para Alckmin, preso com celular é “fonte importante” para polícia. “O próprio sistema de segurança acompanha todo esse trabalho. Isso faz parte também do trabalho de investigação da polícia, com autorização judicial. Quer dizer: isso é uma fonte importante de acompanhamento de inteligência policial”, afirmou.

Estratégia polêmica

Permitir celulares nas prisões para monitorar criminosos é uma estratégia polêmica. O delegado-geral da Polícia Civil, Marcos Carneiro Lima, é contra.

“O isolamento dos presos é fundamental. A Itália só avançou no combate às máfias quando endureceu as penas, até com prisão perpétua, e isolou os chefes”, disse.

Chefes da facção criminosa – PCC – foram flagrados pela Polícia Federal comandando o tráfico de drogas e de armas de dentro da Penitenciária 2 de Presidente Venceslau. Promotores pediram a remoção dos chefes da facção para presídios federais, alegando que o Estado não os controla.

*com informações do jornal Folha de S. Paulo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.