Executivo ligado à Alstom diz que pagou propina a conselheiro do TCE-SP

11/03/2014

Propinoduto tucano

Declaração foi dada em depoimento às autoridades suíças. Ministério Público recebeu documento

Michel Cabane, um executivo ligado à cúpula da Alstom, afirmou, em depoimento a autoridades suíças, que o conselheiro do Tribunal de Contas de São Paulo (TCE-SP) Robson Marinho foi beneficiário de propina. Marinho também foi chefe da Casal Civil do governo Mário Covas (PSDB) entre 1995 e 1997. O depoimento foi enviado ao Ministério Público Federal brasileiro em maio de 2010 como parte do acordo internacional de cooperação para investigar irregularidades nos contratos da Alstom.

Cabane era diretor da Cogelec, subsidiária da Alstom e da Cegelec. A Cogelec produzia os equipamentos que foram vendidos para a Empresa Paulista de Transmissão de Energia (EPTE) por meio de um aditivo contratual firmado em 1998. O Ministério Público Federal diz que houve pagamento de R$ 23 milhões em propina para a assinatura desse aditivo.

Por ser conselheiro do TCE-SP, ele tem foro privilegiado. Marinho é suspeito de ter dado parecer favorável a um aditivo contratual firmado em 1998 pela Alstom com as empresas EPTE e Eletropaulo, estatais paulistas de energia. A Justiça Federal processa 11 pessoas por corrupção ativa e lavagem de dinheiro por causa deste aditivo.


fonte: O Globo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *